Salvatore Di Nolfi/EFE
Salvatore Di Nolfi/EFE

Após sétimo título, Rossi diz que não para no fim de 2010

Ele já flertou com a F-1 e disputou provas de rali, mas afirma que não deve mudar de esporte nos próximos anos

Agencia Estado

26 de outubro de 2009 | 14h17

O italiano Valentino Rossi, que conquistou no domingo seu sétimo título da MotoGP, disse nesta segunda-feira que não pensa em encerrar a carreira sobre duas rodas no ano que vem. Aos 31 anos, ele já flertou com a Fórmula 1 e disputou provas de rali, mas afirmou que não deve mudar de esporte nas próximas temporadas.

Veja também:

especialO 'doutor' da MotoGP e os números 

linkRossi chega em terceiro e conquista o título

"Não acho que vou parar. Se eu me aposentar aos 31 anos, o que vou fazer da vida? Cortar a grama? Eu teria de começar em outro emprego. Mas acho que posso continuar na minha carreira atual até 33 ou 34 anos", disse Rossi ao jornal italiano La Stampa.

Para quem diz que o motociclista não terá motivação para continuar, o próprio Rossi é quem dá a resposta. "Já passei da marca das 100 vitórias [tem 103], então agora vou buscar o recorde de 122 de Giacomo Agostini", afirmou o supercampeão ao diário La Gazzetta dello Sport.

O contrato de Rossi com a Yamaha termina no fim da próxima temporada, com opção de renovar por mais um ou dois anos. "Se fosse assinar hoje, seria por mais dois anos", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
MotoGPValentino RossiYamaha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.