Após três dias, Paris-Dacar recomeça

Após três dias de descanso os pilotos do Rali Paris-Dacar voltam nesta terça-feira à disputa da prova e a tendência é a de que todos procurem acelerar ao máximo seus veículos na expectativa de "recuperar o tempo perdido". Os brasileiros da equipe Petrobrás/Lubrax aproveitaram a folga desta segunda-feira para conhecer a capital africana. "Estávamos num ritmo bom e o nosso carro não teve problemas e isso estaria a nosso favor", disse o piloto Klever Kolberg, em nono na categoria carros, lamentando o cancelamento das 10ª e 11ª etapas, anteriormente previstas para sábado e domingo e canceladas por falta de segurança. "Agora, todo mundo vai correr como louco. Precisaremos ter bastante cautela para manter a nona posição e até tentar ganhar algum lugar na classificação geral." Mas, a princípio, a etapa desta terça-feira, de 213 quilômetros cronometrados, entre Bobo-Dioulasso e Bamako, em Mali, não preocupa Kolberg. O piloto está mais atento às etapas de quinta-feira, entre Ayoûn El Atroûs e Tidjikja e Tidjikja e Nouakchott. "A primeira terá um trecho de 548 quilômetros cronometrados e, a outra, 579 quilômetros. Vamos enfrentar dunas gigantes e ervas de camelo, que são pequenas moitas que nos impedem de andar mais de cinco metros em linha reta", disse Klever. Nesta segunda-feira, ele, o navegador Lourival Roldan, além do piloto de moto, Jean Azevedo (15º colocado), visitaram uma família de Bobo-Dioulasso. Já André Azevedo, segundo na classificação geral dos caminhões, alugou um ciclomotor para fazer um "city tour" pela cidade africana.

Agencia Estado,

12 de janeiro de 2004 | 19h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.