Associação de Equipes da F-1 quer fim do Kers em 2010

'Percebemos que uma solução virou custo e a FIA deveria notar também', diz Flavio Briatore, da Renault

EFE

27 de abril de 2009 | 10h27

SÃO PAULO - O italiano Flavio Briatore, chefe da Renault, revelou que a Associação de Equipes da Fórmula 1 (Fota, em inglês) pressiona pelo fim do Sistema de Recuperação de Energia Cinética (Kers, em inglês) já para o Mundial do ano que vem.

Veja também:

tabela F-1: classificação do Mundial

especialConfira o calendário da temporada

especialESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

A utilização desta tecnologia não teve o resultado esperado e somente algumas equipes decidiram usá-la, porém sem resultados que compensassem seu alto custo.

"A Fota quer que a proibição do Kers em 2010. Percebemos que uma solução virou custo e a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) deveria notar também. Tudo deveria ser falado antes de começar a temporada, e o mesmo acontece com os difusores. Não ter feito isso nos trouxe despesas inúteis", comentou Briatore ao jornal La Gazzetta dello Sport.

Sobre a aprovação do novo difusor pelo tribunal de apelação da FIA, Briatore insistiu em suas críticas: "O problema é que as regras não estão claras. Elas precisam voltar a ser transparentes", disse. "Até hoje eu não entendo o que a FIA avalia como buraco no difusor, e em contrapartida temos que voltar a estar na mesma situação. Hoje há equipes com o Kers e outras sem ele, algumas com o superdifusor e outras sem ele. Isto não é bom", assegurou o chefão da Renault.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Flavio BriatoreFotaRenault

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.