Audiência e público na F-1 surpreendem

O GP do Brasil de Fórmula 1 rendeu a audiência de 37 pontos para a Rede Globo de Televisão, com pico de 41 pontos, considerada excelente pela direção da emissora. E o público do autódromo - mais de 70 mil pessoas - surpreendeu os organizadores da prova, principalmente as 40 mil que assistiram ao treino de classificação, no sábado, com as novas regras. Para Nádia Campeão, secretária municipal de Esportes, Lazer e Recreação, a corrida compensou os esforços da prefeitura nas obras do autódromo e a edição da Medida Provisória para garantir sua realização. "Continuamos com nossa campanha antitabagista, que está incluída na MP. Mas não poderíamos prejudicar um grande evento como a Fórmula 1. Os prejuízos financeiros e de imagem seriam muito grandes. Essa foi a nossa opção", disse Nádia.Segundo o São Paulo Visitors Center Bureau, a F-1 movimenta cerca de US$ 120 milhões na cidade, gerando tributos e empregos. A secretária agora vai esperar o relatório da FIA sobre Interlagos. "Se julgarem que temos de fazer um novo trabalho de drenagem na Curva do Sol isso será executado para 2004", disse. Nádia lembrou que se as caixas de brita não tivessem sido substituídas a chuva forte teria arrastado a brita para a pista, criando um grande problema.Com um índice pluviométrico no domingo de cerca de 45 mm na região do autódromo (contra a média de 8 mm na cidade), a Curva do Sol tornou-se o ponto mais delicado do circuito, tirando da prova seis pilotos, inclusive o pentacampeão mundial Michael Schumacher, com a Ferrari. A questão será analisada pelos promotores da corrida. Mas a idéia é que, com esse volume de água, qualquer ponto da pista poderia dificultar o trabalho das equipes.Nesta segunda-feira, o presidente da International Promotions, Tamas Rohonyi, fez um balanço positivo do 32º GP do Brasil, apesar dos acidentes, da chuva e do fim antecipado: "Foram condições de corrida, que podem acontecer em qualquer lugar. Não havia como minimizar os efeitos da chuva durante o GP."O acidente mais grave, do espanhol Fernando Alonso, da Renault, que encerrou a corrida antes do prazo, não teve, segundo Rohonyi, conseqüências mais graves por causa do bloco de pneus. "As dúvidas sobre a barreira de pneus não procedem. O objetivo é aquele mesmo: amortecer a batida, mesmo que para isso alguns pneus se soltem", explicou.2004 - Para o próximo ano, a International Promotions deverá intensificar a campanha contra ingressos falsos. No domingo, diversos expectadores não conseguiram passar pelas catracas porque portavam ingressos falsificados, a maioria deles de maneira grosseira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.