Australiano da Red Bull volta a liderar teste de novatos

Daniel Ricciardo cravou tempo de 1min38s102 no segundo dia em Abu Dabi, nos Emirados Árabes

AE, Agência Estado

17 de novembro de 2010 | 13h41

Depois de liderar na terça-feira o primeiro teste de novatos da Fórmula 1 que já visa os planos das equipes para a temporada de 2011, o australiano Daniel Ricciardo, piloto reserva da Red Bull, voltou a ser o mais rápido no segundo e último treino para os jovens da categoria, nesta quarta, em Abu Dabi, nos Emirados Árabes.

Ricciardo cravou o ótimo tempo de 1min38s102 para fechar o dia na frente no circuito de Yas Marina. Com a marca, obtida com o mesmo carro guiado pelo campeão mundial Sebastian Vettel, ele superou em mais de um segundo o tempo que assegurou ao piloto alemão a pole position para a prova que fechou a temporada de 2010, no último domingo. O australiano, porém, completou 77 voltas para alcançar o expressivo tempo, enquanto Vettel correu sob pressão e deu bem menos giros na pista.

O belga Jerome D''Ambrosio, da Renault, foi o segundo mais veloz do dia, ao cravar 1min38s802, tempo que superou com certa sobra o obtido pelo terceiro colocado, o inglês Sam Bird, da Mercedes, que marcou 1min39s220. O também inglês Gary Paffett, da McLaren, o francês Jules Bianchi, da Ferrari, e o mexicano Sergio Perez, da Sauber, fecharam o grupo dos seis mais rápidos do treino.

Já o brasileiro Luiz Razia, da Virgin, foi o 12.º entre os 15 novatos que foram para a pista nesta quarta. Ele cravou o tempo de 1min43s525 e só ficou à frente do checo Josef Kral, da Hispania, e da dupla da Lotus formada pelo mexicano Rodolfo Gonzalez e o russo Vladimir Arabadzhiev.

Outro único piloto sul-americano que participou dos testes para novatos em Abu Dabi, o venezuelano Pastor Maldonado, da Williams, ficou com o oitavo melhor tempo do dia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.