BAR promete processar empresa

A equipe BAR não participou dos treinos livres desta sexta-feira, realizados entre as 11 horas e o meio dia, horário local. A justiça francesa não havia decidido ainda quem tinha razão, se a empresa PPGI, que alegava ser credora de US$ 3,5 milhões de comissão pelo patrocínio da TeleGlobe, ou a própria BAR, defensora da tese de que não devia nada a ninguém. Pouco antes do treino acabar, David Richards chegou ao circuito junto dos oficiais de justiça para romper o lacre dos caminhões a fim de liberar os carros para disputar a pré-classificação, à tarde. A justiça deu ganho de causa à BAR e obrigou a PPGI, através de sua representante na Europa, a France-Corbeil, a pagar as despesas jurídicas da ação. Richards já anunciou que irá processar a PPGI por difamação.Sem ter completado uma única volta sequer no circuito de Magny-Cours, por causa do impedimento jurídico, Jacques Villeneuve saiu para a pista para a tomada de tempo da pré-classificação e obteve o sexto melhor tempo, 1min24s651, ajudado pela pista que secava, mas sem que o fato tire os méritos de seu arrojo e coragem. Jenson Button, por exemplo, seu companheiro, ficou em último, 1min30s731.

Agencia Estado,

04 de julho de 2003 | 16h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.