Fernanda Freixosa/Vicar
Fernanda Freixosa/Vicar

Barrichello comemora o bi na Corrida do Milhão: 'Vou sempre me emocionar'

Piloto de 46 anos deixou o carro emocionado e tentou explicar a estratégia que o fez assumir a ponta a duas voltas do final

Estadão Conteúdo

05 Agosto 2018 | 16h25

Rubens Barrichello comemorou a segunda vitória na Corrida do Milhão da Stock Car neste domingo, em Goiânia. Vencedor da etapa mais valiosa da competição também em 2014, o piloto de 46 anos deixou o carro emocionado e tentou explicar a estratégia que o fez assumir a ponta a duas voltas do final.

+Com parada estratégica no fim, Barrichello vence Corrida do Milhão da Stock Car

Felipe Massa retorna à Stock Car com prova em cidade onde estreou

"O Mau-Mau (Maurício Ferreira, chefe da equipe) dizia para não termos medo de sermos diferentes. Ficar na pista era um risco, pois podia entrar um safety car, que já tinha entrado outras vezes", afirmou.

Barrichello esperou mais do que os principais oponentes para entrar nos boxes. Max Wilson, que liderava a prova, foi o primeiro a fazer a última parada para reabastecimento. Na sequência, Antonio Félix da Costa entrou e retornou em segundo lugar. Rubinho ficou mais tempo na pista. Como não teve nenhum outro acidente, ele conseguiu abrir vantagem e, depois de voltar dos boxes, retornou na ponta.

"Foi uma prova de muitos acontecimentos, alguns acidentes que a gente precisa revisar. De qualquer forma, ficar na pista andando rápido e, cara, usar o Fan Push, aquele que o público votou, me ajudou", disse em referência a um botão que facilitava a ultrapassagem e que foi colocado no carro de apenas cinco pilotos.

"Vou sempre me emocionar, porque não posso me esquecer do problema de saúde que tive no começo do ano (sofreu um AVC). Com 46 anos, competitivo desse jeito, só posso agradecer aos céus de verdade", discursou.

Foi a primeira vez que a Corrida do Milhão aconteceu em um circuito de anel externo. O traçado de 2.696 metros proporcionou as médias de velocidades mais altas da Stock Car, com os carros completando uma volta a até 204 km/h de média.

Na linha de chegada, os três primeiros receberam a bandeirada separados por apenas 1,2 segundo. Rubinho comemorou dando zerinhos pela pista e, ao parar na reta, repetiu, com o filho caçula o gesto feito em sua primeira vitória na Corrida do Milhão, quatro anos antes, também em Goiânia, quando subiu no teto do carro com o primogênito Dudu.

"Eu tenho dois filhos. Subi no carro para comemorar com um na primeira vez e eu queria subir com o outro. Tinha um feeling de que isso iria acontecer. Só me concentrei em fazer tudo certo e estar na pista lutando para que meu filho subisse no teto do carro junto comigo. É um sentimento especial, uma alegria enorme estar vivendo isso hoje e poder dividir o pódio com meu filho, com o público. Este pódio foi maravilhoso", explicou.

Sobre o dinheiro que receberá, avisou que já tem destino. "Vou usar a minha parte no Instituto Barrichello, que faz um trabalho bem bacana e, como todo instituto, sofre as suas dificuldades para tentar ajudar o Brasil a melhorar um pouco", concluiu.

O segundo lugar ficou com Max Wilson, com Antonio Félix da Costa em terceiro. Felipe Fraga terminou em quarto, seguido por Marcos Gomes. Ricardo Zonta foi o sexto, com Allam Khodair em sétimo, Daniel Serra em oitavo, Guga Lima em nono e Bia Figueiredo em décimo. Felipe Massa, após o furo de pneu com a saída de pista, concluiu em 24º lugar. A Stock Car volta em ação dentro de duas semanas com a sétima etapa da temporada em rodada dupla que será disputada em Campo Grande.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Stock Car Rubens Barrichello

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.