Barrichello desaprova mudança de critério na Fórmula 1

O brasileiro Rubens Barrichello não gostou da mudança no critério que define o campeão da Fórmula 1. A partir deste ano, segundo decisão anunciada pela FIA nesta terça-feira, o título ficará para o piloto que vencer mais corridas, e não para quem somar mais pontos.

AE, Agencia Estado

17 de março de 2009 | 13h19

"Não sei se gostei muito dessa regra. Acho que deve ganhar quem faz mais pontos. O campeão deve ser quem mostrou mais qualidade no campeonato todo. Imagina se uma equipe vence seis provas no início do ano... Aí praticamente acaba o campeonato", disse o piloto da Brawn GP em entrevista à TV Globo.

A mudança no critério que define o campeão foi surpreendente, pois esperava-se uma outra alteração, no sistema de pontos. A associação das equipes (Fota) propôs que a vitória valesse 12 pontos, contra nove do segundo lugar, em uma escala chamada 12-9-7-5-4-3-2-1.

Barrichello disse que, se aprovada, a mudança proposta pela Fota seria melhor para ele. O brasileiro teve uma redução considerável de salário, e ganhará bônus por pontuação. "Para mim seria melhor se mudasse a pontuação, porque eu poderia ganhar mais pontos e mais dinheiro", brincou o piloto.

Pelo novo critério, os pontos continuam seguindo o sistema 10-8-6-5-4-3-2-1, utilizado desde 2003, e decidem todas as posições do Mundial, à exceção do primeiro lugar. A disputa de Construtores será mantida como nos anos anteriores, sem a prevalência das vitórias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.