Barrichello esbanja confiança na Brawn após dobradinha

O brasileiro Rubens Barrichello fica mais confiante a cada volta completada com o carro da Brawn GP. Ameaçado de não disputar a temporada 2009 da Fórmula 1 até poucas semanas por causa de extinção da Honda, o piloto se vê agora com boas chances de título, principalmente após a dobradinha conquistada por ele e seu companheiro de equipe Jenson Button no treino de formação do grid para o GP da Austrália, neste sábado.

AE, Agencia Estado

28 de março de 2009 | 10h46

"Vai ser assim o ano inteiro (com a Brawn brigando por vitórias), não só nas primeiras corridas", avisou Barrichello, após conquistar a segunda posição no grid. Button largará a seu lado, na pole, depois que os dois pilotos dominaram as três etapas do treino oficial. O brasileiro liderou as duas primeiras, sendo superado pelo inglês apenas na última parte. Barrichello explicou o desempenho pior na etapa decisiva, mas não lamentou a perda da pole para o companheiro.

"Eu achei que faria a pole depois de ter sido mais rápido no Q1 e Q2 e minha queda de rendimento no Q3 tem a ver com menos gasolina no tanque, porque estamos em condições semelhantes. Na hora que coloquei gasolina o carro começou a sair de frente", esclareceu o brasileiro. "Mas não estou triste não, acho que tenho condições de lutar pela vitória."

Para a corrida em Melbourne, que tem largada prevista para as 3 horas (de Brasília) deste domingo, Barrichello espera um início tumultuado, já que o sol forte pode atrapalhar a visão dos pilotos. "Com a largada às 17 horas (horário local) o sol bate na cara e antes da curva 3, com as árvores, cria uma sombra que impede de identificar o que tem na frente", disse o brasileiro, que não ocupava a primeira fila no grid desde 2006, ainda com a Ferrari.

"Essa corrida será cheia de desafios. Primeiro porque exige muito dos freios e ninguém tem referência disso. Os pneus vão ser a chave da corrida. O pneu mole desgasta muito rápido e o duro, se a temperatura estiver como na sexta (amena), não aquece", completou Barrichello.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.