Barrichello evita previsões sobre desempenho da Honda

'É melhor esperar para ver', diz, acreditando que os tempos de voltas serão muito próximos entre as equipes

Agência Estado

12 de março de 2008 | 10h01

O brasileiro Rubens Barrichello preferiu não fazer previsões sobre a desempenho da Honda no GP da Austrália, que abre a temporada da Fórmula 1, neste domingo. Para o piloto, a disputa no pelotão intermediário será muito intensa e, por isso, não é fácil cravar quais são as possibilidades da equipe que defende no Mundial.Veja também: A expectativa para o GP da Austrália Blog do Livio: mais informações sobre a Fórmula 1 Reginaldo Leme e Livio Oricchio projetam 2008"Vamos ver disputas bem interessantes. É quase impossível dizer onde vamos terminar a prova porque os tempos de voltas ficarão muito próximos. Então é melhor esperar para ver", disse Barrichello, que disse estar animado com o fim do controle de tração na categoria."Sinto-me como uma criança que ganhou um brinquedo novo! Como já dirigi sem o controle de tração por muito anos, na década de 1990, não demorei para me adaptar. Teremos novos desafios pela frente, principalmente na chuva, mas estou animado para enfrentá-los", afirmou o piloto.O controle de tração é usado para evitar que as rodas girassem em falso, sobretudo em trechos de retomada de aceleração. Sem ele, os pilotos terão de dosar a intensidade no momento de pisar no acelerador.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Rubens BarrichelloHonda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.