Barrichello não comenta atitude da Ferrari

Rubens Barrichello deu entrevista nesta quarta-feira em Monza, para falar que "as regras vigentes devem ser respeitadas", em relação ao caso dos pneus Michelin, que serão medidos depois do GP da Itália de Fórmula 1, no dia 14, em Monza. "Não sei se os pneus estão de acordo com as regras nem tenho por que falar disso, que é assunto da Federação Internacional de Automobilismo, a FIA. Mas de todo jeito as regras devem ser as mesmas para todos", disse o piloto brasileiro depois dos testes que a Ferrari está realizando no autódromo ao Norte de Milão. Rubinho não tocou no assunto da Ferrari ter colocado - em seu site - o brasileiro como culpado pela quebra da suspensão traseira da Ferrari no GP da Hungria, por passar em "ângulos não-convencionais" sobre as zebras.Nesta quarta-feira à tarde, a FIA explicou que as equipes que utilizam os pneus franceses passarão por exame dos comissários do GP de Monza para ver se estão ou não em conformidade com o regulamento. O anúncio - uma nota oficial da FIA - é conseqüência de uma queixa apresentada pela Ferrari, que corre com os pneus da fábrica japonesa Bridgestone, contra a Williams e a McLaren, que usam Michelin.Os pneus sempre são medidos antes das provas. Mas, com a corrida, iriam ficando ligeiramente mais largos, o que daria mais área de atrito -e, portanto, de aderência e velocidade. A requisição é de que os pneus sejam medidos depois dos GPs (o que não está no regulamento, que fala apenas da medição do pneu "quando novo").Faltando três GPs para o fim da temporada da Fórmula 1, a classificação geral tem o alemão Michael Schumacher, da Ferrari, na liderança, com apenas um ponto de vantagem sobre o colombiano Juan Pablo Montoya, da Williams, e dois sobre o finlandês Kimi Raikkonen, da McLaren. "Existem razões para se pensar que os pneus em questão não são idênticos àqueles do início da temporada", diz o comunicado da FIA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.