Barrichello tem reunião com diretor para discutir sinalização

Diretor de prova quis ouvir o brasileiro após o erro que lhe causou a desclassificação na corrida anterior

Livio Oricchio, Enviado Especial - O Estado de S. Paulo

20 de março de 2008 | 10h27

O erro de Rubens Barrichello na abertura do Mundial de Fórmula 1, ao não ver o sinal vermelho na saída de box, gerou uma reunião, nesta quinta-feira, com o delegado de segurança e diretor de prova, Charlie Whiting. "Discutimos meia hora como tornar essas luzes mais visíveis e estudar novo posicionamento, a fim de que também a equipe possa vê-la para instruir seus pilotos", contou o piloto. Mas ainda não disse o quê e quando será feito.Apesar de ter chegado em sexto e depois acabou desclassificado, Barrichello comentou ser realista. "A Honda ainda não está nesse nível." INCÔMODOOs pilotos estão preocupados de forma geral com o tempo na Malásia. Se chover, pela dificuldade de controlar o carro sem controle de tração. E no seco porque o seletivo traçado de 5.543 metros foi recapeado inteiramente. "Temos informações de que os tempos de volta irão melhorar em razão de o asfalto ser mais abrasivo e aderente, mas se na Austrália muita gente teve problema de desgaste dos pneus traseiros, aqui será ainda pior", explicou Rubinho. APOIORoss Brawn, diretor-geral da Honda, comentou a perda dos três pontos na Austrália com a desclassificação de Rubinho: "Nossas ações dependem do tipo de erro do piloto. O importante é construir com eles uma atmosfera de grupo, para que se sintam amparados, desenvolver uma relação próxima". Inocentou Rubinho.

Tudo o que sabemos sobre:
Rubens BarrichelloHondaFórmula 1FIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.