Barros faz 11º tempo, apesar das dores

O brasileiro Alexandre Barros pretende sair domingo do autódromo de Sachsenring, depois de disputar a prova da Alemanha de MotoGP, direto para Barcelona, para se consultar com o médico que operou sua mão direita há dez dias. Não por causa da mão, mas sim em função de fortes dores no ombro direito, que hoje o impediram de ir além do 11.º lugar no primeiro treino oficial para a corrida. A pole provisória é do italiano Valentino Rossi. Barros disse que, pelo menos hoje, a mão operada - foram colocados sete parafusos e uma placa metálica - não afetou seu rendimento. O problema foi o ombro, região onde sente dores há vários anos, dores que se tornaram mais forte desde o acidente que sofreu há 12 dias, em Donington Park, durante o warm up para o GP da Inglaterra. "A dor no ombro é quase insuportável. Os médicos me aplicaram uma infiltração, mas ainda assim a dor persiste. Estou tentando descansar e relaxar após cada treino, mas não tem sido nada fácil. Agora, por exemplo, não estou conseguindo nem levantar o braço. Com um mínimo de esforço no braço a dor já vem. Se os meus tempos têm melhorado é porque a moto (Yamaha M1) está ficando cada vez melhor. O problema está todo comigo??. disse Barros. Por isso, ele não espera por um bom resultado no GP da Alemanha, prova que ele venceu no ano 2000. "Vou fazer o possível para tentar marcar alguns pontos, mas não sei se vai dar para agüentar até o final da corrida." O brasileiro diz sentir dores no ombro direito, há alguns anos. É causada por uma tendinite surgida, segundo os médicos, pelo esforço repetitivo e má postura. Até o ano passado, a dor desaparecia após dois ou três dias, mas desde o acidente em Donington se tornou constante e mais intensa. Valentino Rossi, com Honda, fez hoje 1min24s335, superando no minuto final por 35 milésimos outro italiano, Max Biaggi, também com Honda, que cravou 1min24s370. O tempo de Barros foi 1min25s210. Amanhã será definido o grid.

Agencia Estado,

25 de julho de 2003 | 17h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.