Barros inicia luta para desbancar Rossi

Com a moto Honda que foi de Valentino Rossi até o ano passado, o brasileiro Alexandre Barros começa disputar domingo, em Welkon, na África do Sul, a sua 15ª temporada de MotoGP. A partir desta sexta-feira, com o primeiro dia de treinos oficiais, ele terá a responsabilidade de enfrentar o tricampeão Rossi, que estará fazendo sua estréia com uma Yamaha YZR-M1. A SporTV exibirá ao vivo as três categorias - 125 cc, 250 cc e MotoGP - no domingo, a partir das 6h.Nos testes de inverno, Alex Barros ainda não estava totalmente recuperado da operação no ombro esquerdo para a reconstrução de dois tendões, realizado no ano passado. Mesmo assim, ficou a apenas 0s06 de Valentino Rossi na pista de Barcelona.Agora, encerrado o longo período de seis meses de fisioterapia, o piloto brasileiro aumentou o ritmo do trabalho de condicionamento físico. "Fui contratado para ser campeão. No começo dos testes senti ainda alguma dificuldade por causa da minha condição física. Mas depois me adaptei. Tenho uma moto fantástica", admitiu Alex Barros antes de embarcar para a África do Sul.Com a Honda RC211V, responsável por 29 vitórias em 32 provas para motos de 4 tempos, Alex Barros reconhece que pode fazer o melhor campeonato de sua carreira. "Estou empolgado", disse. Esta é a segunda vez que ele corre por uma equipe oficial de fábrica. A primeira foi no ano passado, quando defendeu a Yamaha. Mas decepcionou-se com o fraco rendimento do equipamento. Para 2004, Alex Barros aponta o próprio Valentino Rossi e os outros pilotos da Honda como seus rivais na luta pelo título da temporada.Números - Valentino Rossi é quem mais corridas venceu - 33 - entre os atuais pilotos da MotoGP. Mesmo assim, ainda está distante do recorde de Giacomo Agostini, com 68 vitórias. Em compensação, Alex Barros é quem mais correu: 225 provas.Novidades - O GP da África do Sul será a primeira de 16 corridas, incluindo a nova pista de Doha, no Catar. A etapa do Brasil, em Jacarepaguá, no Rio, foi antecipada de setembro para o dia 4 de julho. E a Vadam International, responsavel pelo evento, está com o organograma de trabalho em ordem, segundo o diretor Moacir Galo.Essa corrida na África do Sul tem uma característica especial por causa da altitude. O circuito de Phakisa Freeway, em Welkon, fica a 1350 metros acima do nível do mar e as motos perdem cerca de 20% de potência. A pista mede 4242 metros e nenhum piloto conseguiu vencer mais do que uma vez por lá.A partir do GP da África do Sul, a largada das provas do MotoGP serão modificadas, com três e não quatro pilotos em cada fila. Dessa forma, o treino oficial ganhará mais importância.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.