Bernie Ecclestone tem esperança de que Fórmula 1 volte ao Bahrein

Dirigente máximo da categoria espera que o GP, que foi cancelado em 2011, fique livre de incidentes nos próximos anos

REUTERS

10 de dezembro de 2011 | 13h10

LONDRES - O dirigente máximo da Fórmula 1 Bernie Ecclestone espera que o Bahrein tenha uma corrida livre de incidentes no próximo ano mas concordou neste sábado que acontecimentos no país podem forçá-lo a repensar.

Este ano a corrida teve de ser cancelada, após inicialmente ser adiada, por conta da agitação civil no reino do Golfo e da repressão subsequente que desencadeou acusações de abusos contra os direitos humanos.

Uma comissão internacional de juristas indicada pelo próprio governo encontrou provas de abusos sistemáticos contra manifestantes detidos.

"Eu espero que possamos ir ao Bahrein e que não haja problemas - a corrida continua, o público está feliz e não haverá dramas. É o que eu espero," disse Ecclestone em entrevista ao jornal Guardian.

Perguntado sobre o que faria se tivesse "provas irrefutáveis" de que as coisas inaceitáveis "ainda estavam acontecendo", Ecclestone disse: "Nós teríamos que pensar seriamente sobre isso, então".

"Mas eu estive na Argentina quando eles passavam por um grande drama. Há dramas no Brasil. Coisas ruins acontecem lá. Eu penso que você pode olhar para qualquer lugar agora e não está tudo bem.

"Você não pode ter certeza de que está tudo bem na Inglaterra, pode? Há algumas atrocidades terríveis que nós cometemos."

O Grande Prêmio está agendado para 22 de abril.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.