Biaggi provoca Rossi na MotoGP

Desde 2000, quando passaram a competir juntos pela categoria principal da motovelocidade, os pilotos italianos Max Biaggi e Valentino Rossi mantêm uma relação pouco amistosa. E, nesta terça-feira, ao chegar ao Brasil para a disputa do RioGP, 12ª etapa do campeonato, que acontece no sábado, Biaggi mais uma vez voltou a criticar o adversário."Gostaria de ver o Valentino provar seu talento competindo com uma moto menos competitiva. Vencer com uma Honda de fábrica é fácil", provocou Biaggi, que em 2000 foi terceiro colocado na categoria 500cc e Rossi, o segundo. Nos dois últimos anos, o piloto principal da Honda conquistou o título, enquanto Biaggi amargou o vice-campeonato.E, conformado com a qualidade inferior do seu equipamento, Biaggi já fez planos para a temporada 2004 da MotoGP, aproveitando para alfinetar Rossi. "Este ano todos já sabemos quem será o campeão. Espero um futuro melhor", ironizou.Rossi lidera a tabela de classificação com 237 pontos, seguido pelo espanhol Sete Gibernau, que tem 191, e Biaggi, com 161.Como a Pramac de Biaggi não é a equipe oficial da Honda, ela não recebe as mesmas "regalias" que a Repsol de Rossi. Uma condição que Biaggi fez questão de não esconder. Para o italiano, algumas dificuldades, como o atraso no recebimento de componentes novos, não o permitem acirrar a briga com Rossi.Mas Biaggi quer passar por cima disso tudo no RioGP. Ele e Rossi costumam travar bons duelos no circuito de Jacarepaguá. No ano passado, Biaggi terminou em segundo, logo atrás do rival. Por isso, deseja ter melhor sorte desta vez. O italiano ainda comentou que a pista melhorou em relação aos problemas de ondulação. Outros problemas - Já o japonês Tohru Ukawa é mais contido que Biaggi, seu companheiro de equipe. O piloto vem enfrentado sucessivos problemas com sua moto e não obteve bons resultados no campeonato. Por isso, o que mais fez nesta terça-feira foi lamentar os empecilhos desta temporada."Peço um pouco mais de sorte, porque tenho caído muito e ainda não subi ao pódio este ano", disse Ukawa, que confessou ser Jacarepaguá a sua pista favorita. O japonês, no entanto, admitiu ter sentido mais dificuldades em se adaptar à nova categoria MotoGP (até 2001 era 500cc), do que quando deixou de pilotar uma moto de 250cc para andar em um equipamento de 500cc.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.