Reuters
Reuters

Binotto vê Aston Martin de Vettel em vantagem competitiva para a temporada 2021

Chefe de equipe da Ferrari entende que sua escuderia tem como objetivo ficar em terceiro lugar no campeonato de construtores

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2021 | 18h23

Mattia Binotto, chefe de equipe da Ferrari, avaliou as condições competitivas entre as escuderias para a temporada 2021 da Fórmula 1. Depois da pior temporada desde 1980, as expectativas da escuderia italiana seguem sendo cautelosas.

De acordo com Binotto, a Ferrari deve brigar pela terceira posição no campeonato de construtores. Em 2020, a equipe de Maranello terminou a temporada em 6.º lugar. 

"Nossa equipe foi capaz de terminar em segundo nos cinco anos anteriores, exceto uma vez terceiro. Assim, creio que o terceiro lugar não é impossível e deveria ser ao menos nosso objetivo mínimo para a próxima temporada", disse Binotto.

As disputas em 2021 devem repetir as do ano anterior, quando Mercedes e Red Bull lutaram pelas primeiras posições, enquanto McLaren, Racing Point (atual Aston Martin), Renault (atual Alpine), Ferrari e AlphaTauri brigaram pelas posições intermediárias.

Ainda assim, Binotto adverte que algumas equipes, como a Aston Martin, terão vantagens na construção de seus carros. Isso porque essas equipes usarão componentes de outros construtores sem que contem como desenvolvimento do carro. A Aston Martin, de Sebastian Vettel, herdará a suspensão usada pela Mercedes, a AlphaTauri usará peças da Red Bull na última temporada, enquanto a McLaren trocará de fornecedor de motor, da Renault para a Mercedes.

"Nós só tivemos dois itens para mexer, tratando de abordar e melhorar as debilidades deste ano. Mas há equipes que neste momento não estão limitados por essas fichas, têm fichas grátis", finalizou o italiano.

A temporada 2021 da Fórmula 1 tem seu início marcado para o mês de março, porém incertezas sobre as provas da Austrália e China devem modificar o calendário da categoria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.