BMW e Red Bull dizem que continuam na Fórmula 1

As duas equipes fizeram questão de reforçar que problema da Honda não tem nada a ver com seus trabalhos

AE, Agência Estado

08 de dezembro de 2008 | 13h49

Depois de ver a Honda abandonar a Fórmula 1, as equipes da categoria mobilizam-se para reduzir os custos e garantir sua permanência na categoria. E, também, para garantir a parceiros e patrocinadores que não seguirão o exemplo dos japoneses. A primeira escuderia a comprometer-se em continuar no Mundial foi a Toyota. Agora, BMW e Red Bull - dona de duas equipes - fizeram o mesmo.Veja também: Diretor da Williams prevê saída de outra equipe da F-1"A saída da Honda não tem qualquer efeito na relação da BMW com a Fórmula 1. Nosso envolvimento com a categoria é parte fundamental com a estratégia da empresa. Não há uma plataforma melhor para demonstrar os valores de nossa marca do que a F-1", afirmou Klaus Dreager, diretor da montadora alemã.Para o ex-piloto Helmut Marko, atual consultor da Red Bull, as duas equipes geridas pela empresa de bebidas energéticas continuarão na categoria, mas precisarão se adaptar."Elas estão a salvo. Mas a Red Bull deve diminuir 30% de seu orçamento", afirmou. O corte de gastos da equipe já começou. O Red Bulletin, jornal editado pela equipe nos finais de semana de corrida, não deve mais circular nos paddocks em 2009.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1BMW-SauberRed Bull

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.