Boesel deve disputar as 500 Milhas

As marcas continuam caindo no circuito de Indianápolis, na preparação dos carros para o ?pole day? das 500 Milhas, que será disputado no sábado. Até agora, o melhor tempo dos treinos livres, que começaram no domingo, pertence ao estreante francês Laurent Redon, com Dallara/Infiniti (equipe Mi-Jack Conquest), com 369,748 km/h, estabelecida na terça-feira.Nesta quarta-feira, o norte-americano Scott Sharp fez a melhor volta do dia em 367,415 km/h, seguido por Redon e pelo brasileiro Hélio Castro Neves. O melhor brasileiro até agora foi Bruno Junqueira, que chegou a 367,764 km/h na terça-feira, com G-Force/Chevy. Raul Boesel chegou a Indianápolis e deverá ser o sétimo piloto brasileiro na prova. A SporTV mostrará o ?pole day? ao vivo, sábado, a partir das 13h.O bom rendimento do carro de Redon não foi surpresa. O motor Infiniti, da Nissan, é considerado o mais veloz da categoria. O que surpreendeu foi a segurança do rookie Laurent Redon.O veterano Raul Boesel deverá andar em Indianápolis a partir desta quinta-feira, com um Dallara/Chevy da equipe Menard, substituindo o piloto P. J. Jones, que sofreu acidente na terça-feira. Jones teve uma fissura em uma das vértebras e está internado no Hospital Metodista, onde passa bem.Além de Boesel, o automobilismo brasileiro disputará posições no grid, sábado, com os pilotos Hélio Castro Neves, Gil de Ferran, Tony Kanaan, Felipe Giaffone, Airton Daré e Bruno Junqueira."Seria ótimo que todos conseguissem a classificação", disse Bruno Junqueira, da equipe Chip Ganassi. Entre os pilotos brasileiros, Airton Daré, com Dallara/Chevy da equipe A. J. Foyt, foi quem teve o momento mais delicado do treino desta quarta-feira, quando o carro saiu de traseira na curva 1. O piloto conseguiu controlá-lo, evitando o choque. Um pouco antes, ele tinha cravado a sua melhor volta com o tempo de 361,640 km/h e tentava obter uma volta ainda mais rápida."O carro estava reagindo bem e tentei fazer a curva sem aliviar o acelerador. Na hora em que ele escapou, achei que tinha chegado a minha vez de experimentar esses amortecedores que puseram nos muros. Mas consegui evitar a rodada e trouxe o carro inteiro para os boxes", justificou Daré.Nesta quarta-feira, Bruno Junqueira foi o quinto mais rápido com a marca de 366,661 km/h. Bruno, que está curado da gripe que o prejudicou no treino de domingo, está satisfeito com o rendimento do carro até agora: "Em Indianápolis, o clima muda constantemente e isso afeta o desempenho do carro na pista. Qualquer vento, muda muito o comportamento do carro. Por isso estou feliz em conseguir manter uma boa velocidade durante todos os dias. O mais importante para nosso objetivo de conquistar um bom lugar no grid, entretanto, foi o fato de termos conseguido boas marcas sem a ajuda do vácuo já que a classificação só tem um piloto de cada vez na pista".O tempo para a formação do grid de largada tem como base a média das quatro voltas a que o piloto tem direito. Em Indianápolis, quem se classifica é o carro e não o piloto. Dessa forma, um piloto pode tentar conseguir uma boa marca e dar o lugar para outro piloto. No ano passado, por exemplo, Raul Boesel garantiu a vaga para Felipe Giaffone.A chuva que prejudicou os treinos desde a segunda-feira deve diminuir a partir de amanhã. Dessa forma, os pilotos terão mais tempo para acertar o carro nos últimos dois dias de treinos, quinta e sexta, antes do pole day que determinará os primeiros 15 classificado para o grid de largada. No domingo haverá uma segunda tomada oficial de tempos. E no domingo seguinte, dia 19, haverá o Bump Day para as últimas vagas. A corrida será disputada no dia 26 de janeiro, à partir das 13h (de Brasília).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.