Mark Sutton/ EFE
Mark Sutton/ EFE

Bottas afasta boatos de uma possível saída da Mercedes no meio da temporada

Desempenho do finlandês tem sido questionado na escuderia alemã; nome de George Russell ganha mais força

Redação, Estadão Conteúdo

06 de maio de 2021 | 12h08

O finlandês Valtteri Bottas afastou, nesta quinta-feira, os boatos surgidos em Barcelona de que poderia deixar a equipe Mercedes no meio do campeonato. Companheiro de Lewis Hamilton, Bottas é apenas o quarto colocado na classificação geral, 37 pontos atrás do britânico (69 a 32). O holandês Max Verstappen, da Red Bull, é o segundo, com 61, seguido pelo britânico Lando Norris, da McLaren, com 37.

Com apenas dois terceiros lugares, Bottas não conseguiu proteger Hamilton do ataque de Verstappen nas três primeiras provas da temporada. Em Ímola, se envolveu em um acidente com George Russell, da Williams, exatamente o piloto apontado para ocupar seu cockpit em 2022.

Segundo matéria publicada esta semana pelo jornal Daily Mail, um engenheiro da Mercedes afirmou, sem se identificar, que havia uma 'certa inquietação' na fábrica pelo desempenho do finlandês neste início de campeonato.

"Eu sei que não vou ser substituído no meio da temporada. Como equipe, não fazemos isso. Tenho um contrato para este ano e acho que só há uma equipe que faz esse tipo de coisa na Fórmula 1, e nós não somos essa equipe", disse o piloto, referindo-se a mudanças feitas pela Red Bull nos últimos anos.

Questionado sobre se espera estar na Mercedes no próximo ano, Bottas respondeu: "Não sei. Ainda é cedo. Ainda não pensei sobre isso realmente. No momento, não me importo. Estou apenas me concentrando neste ano."

O chefe da equipe da Mercedes, Toto Wolff, reconheceu após o Grande Prêmio de Portugal que uma falha no carro prejudicou a briga de Bottas por pelo menos o segundo lugar. "Nós o (Bottas) decepcionamos com o problema no motor. Vamos continuar a apoiá-lo e trabalhar duro para fornecer um bom material para o seu trabalho em Barcelona."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.