Rudy Carezzevoli/Reuters
Rudy Carezzevoli/Reuters

Bottas afirma que tem condições de superar Hamilton: 'Não existe uma grande diferença'

Piloto da Mercedes avalia que precisa de consistência para superar companheiro de equipe e promete brigar para ser campeão

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

02 de dezembro de 2020 | 14h00

O piloto finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes, afirmou nesta quarta-feira que se vê em condições de superar o heptacampeão mundial Lewis Hamilton na próxima temporada e garantir um título na Fórmula 1. Embora o inglês domine a categoria e tenha vencido os quatro últimos campeonatos - ganhou também em 2008, 2014 e 2015 -, o companheiro de equipe garante que não há tanta diferença entre um e outro.

Bottas concedeu entrevista coletiva virtual nesta quarta para um pequeno grupo de jornalistas. O Estadão foi um dos dois veículos brasileiros presentes. O encontro foi organizado pela Petronas, fornecedora de combustível da escuderia. O finlandês afirmou que apesar de Hamilton ter o mesmo carro que ele e vencer as temporadas com grande domínio, a diferença entre um e outro não é tão grande quanto pode parecer.

"Eu preciso trabalhar na parte de consistência. Não existe uma grande diferença (entre nós dois), são pequenos detalhes. Ele (Hamilton) pode ter uma grande diferença nas estatísticas e na quantidade de pontos, mas não existe esse degrau todo", explicou Bottas. O finlandês está na Mercedes desde 2017 e no passado foi vice-campeão. Nesta temporada, ele luta para manter o segundo lugar na classificação geral.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Ele (Hamilton) pode ter uma grande diferença nas estatísticas e na quantidade de pontos, mas não existe esse degrau todo
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Valtteri Bottas, Piloto da Mercedes

Para Bottas, nos tempos de classificação não há muita diferença entre os dois. "Na performance do treino eu consigo igualar e até ir melhor. Mas ele (Lewis Hamilton) tem uma grande consistência de fazer sempre o melhor, volta a volta. Ele é muito talentoso e tem também uma grande experiência", avaliou. Neste ano o finlandês ganhou as etapas da Rússia e da Áustria.

Com 15 poles e nove vitórias na carreira, o finlandês afirma que só não venceu mais vezes pelo talento fora de série de Hamilton e por alguns episódios de azar. Problemas no carro fizeram Bottas não pontuar em três provas deste ano. "Ainda temos duas corridas para fazer no campeonato (Sakhir e Abu Dabi). Se eu ganhar, vou terminar o ano de forma mais positiva. Em termos de resultado, eu fui melhor no ano passado, mas neste ano eu fui melhor em desempenho", comentou.

O finlandês está garantido na Mercedes no próximo ano e garante que vai se esforçar para vencer Hamilton. "Não é fácil. Mas estou sempre buscando melhorar. Se você olhar os números de Lewis, ele é quem tem mais sucesso na Fórmula 1. A cada ano quero melhorar e aprender com meus erros. Não vou desistir e vou continuar trabalhando forte pela minha carreira", disse. O último piloto a bater Hamilton foi Nico Rosberg. Em 2016 o alemão foi campeão mundial guiando pela Mercedes.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
A cada ano quero melhorar e aprender com meus erros. Não vou desistir e vou continuar trabalhando forte pela minha carreira
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Valtteri Bottas, Piloto da Mercedes

No próximo domingo Bottas terá um novo companheiro de equipe. O inglês George Russell será o substituto de Lewis Hamilton, afastado das atividades por testar positivo para covid-19. O finlandês disputa com Max Verstappen, da Red Bull, o posto de vice-campeão do ano. Entre os dois existe uma diferença de apenas 12 pontos.

O campeonato de calendário reduzido por causa dos cuidados com o novo coronavírus deixou Bottas com saudade de algumas etapas. Questionado pelo Estadão sobre qual das corridas canceladas ele mais sentiu falta, o piloto revelou as preferências. "Fico triste porque minha pista favorita é no Japão. Suzuka é a melhor pista do mundo, muito rápida e única. Os fãs e a cultura do país fazem falta. São Paulo tem grande paixão pela Fórmula 1 também", disse. O finlandês também mencionou estar ansioso para voltar a correr os GPs da Austrália e do Canadá.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.