Bottas exibe confiança e diz que fará de tudo para bater a Mercedes

Mas piloto finlandês, da Williams, acredita que a próxima temporada será mais equilibrada. 'Nunca subestime os outros concorrentes', diz

Estadão Conteúdo

05 de fevereiro de 2015 | 13h26

A Williams terminou a temporada 2014 da Fórmula 1 em terceiro lugar no Mundial de Construtores, mas foi a equipe quem mais ameaçou a hegemonia da Mercedes na reta final do campeonato. Sem se sentir pressionado pela condição de principal rival da equipe alemã, o finlandês Valtteri Bottas espera pressionar ainda mais a equipe de Lewis Hamilton e Nico Rosberg em 2015.

"Somos uma equipe de corrida e queremos vencer corridas, e sinto que é um bom lugar para se estar. Quando as pessoas dizem que acreditam que somos os principais concorrentes da Mercedes, isso é muito legal. Vamos fazer de tudo para trazer dificuldades a eles", disse, em entrevista ao site oficial de Fórmula 1.

Bottas, porém, acredita que o próximo campeonato será bem mais equilibrado do que o do ano passado. "Nunca subestime os outros concorrentes. A Red Bull certamente será forte, a Ferrari também. A McLaren é um ponto de interrogação por causa de seu novo motor, então tenho a sensação de que vamos ver uma temporada muito mais disputada neste ano", afirmou.

Ainda em busca de sua primeira vitória na Fórmula 1, Bottas revelou que a sua preferência é por um triunfo no GP da Hungria, pois a prova conta com a presença maciça de torcedores finlandeses. "Talvez Budapeste. Budapeste na Finlândia é conhecida como o ''GP finlandês''. Há sempre muitos finlandeses em Budapeste", comentou. 

Grande revelação da última temporada, Bottas pode despertar o interesse de outras equipes, como a Ferrari, ainda mais com a proximidade do fim do contrato de Kimi Raikkonen. Mas Bottas desconversou sobre o assunto, embora tenha destacado que espera estar em uma equipe competitiva no futuro. "Eu não sei nada sobre o contrato de Kimi. Tudo que sei é que quero estar no carro mais rápido disponível. Isso é tudo o que posso dizer", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.