Brack busca afirmação fora dos ovais

Líder da temporada da Indy, o sueco Kenny Brack tem um objetivo principal neste fim de semana, no GP de Houston: mostrar que pode sair-se tão bem em pistas de rua, como a da cidade texana, como nos ovais. Apesar de ser um dos candidatos efetivos ao título da temporada, ele ainda enfrenta desconfianças em relação à sua capacidade de guiar em circuitos que exigem mais técnica dos pilotos. Nesta sexta-feira, em Houston, ocorrem os primeiros treinos livres. Serão duas sessões, às 11h30 e 14h45 (de Brasília), respectivamente.Brack demonstra alguma irritação com os críticos. "Posso ir bem em qualquer tipo de pista. Além disso, este ano a Rahal tem um carro bem acertado para as pistas de rua. Só não tive muita sorte. Mesmo assim, consegui alguns bons resultados, como poles position", disse o piloto sueco.Esses "bons resultados" apregoados por Brack são relativos. Dos 147 pontos que obteve até agora na temporada, 116 foram conquistados em ovais. Foi neste tipo de pista que ele conseguiu suas quatro vitórias (Japão, Milwaukee, Chicago e Lausitz). Em pista mista e de rua, o máximo que conquistou foi um segundo lugar em Long Beach (rua), na segunda etapa da temporada. Também foi pole na prova inaugural do ano (circuito de rua em Monterrey, México) e no misto de Elkhart Lake. Nada mais.Brack, porém, não dá o braço a torcer. "Só sei que nós, da equipe, iremos trabalhar duro para melhorar ainda mais o carro para esta e para as duas próximas etapas", garantiu. Depois de Houston, a Indy corre no misto de Laguna Seca e nas ruas de Surfer?s Paradise, Austrália. O sueco lidera o campeonato com 6 pontos de vantagem para o brasileiro Gil de Ferran, da Penske. Michael Andretti, norte-americano da Green/Motorola, tem 125 pontos e Hélio Castro Neves, brasileiro da Penske, 123.Outro brasileiro, Maurício Gugelmin, ainda persegue um bom resultado nesta temporada. Mas se depender de seu ânimo, ele não virá em Houston. "Das pistas de rua, esta é a pior da temporada. Suas curvas são, na maioria, de 90 graus. Sem contar as ondulações. É muito difícil acertar o carro", criticou.Reunião - Depois de demitir o vice-presidente de Competições Kirk Russell, a Cart resolveu correr "atrás do tempo perdido". Nesta quinta-feira, em Houston, os dirigentes fizeram uma reunião onde o tema foi o regulamento dos motores a partir de 2003. Há grande possibilidade de os atuais motores turbo serem substituídos pelos aspirados. Também se discutiu alternativas de fornecedores, pois a Toyota - que já anunciou que só produzirá propulsores aspirados em 2003 - tende a deixar a categoria. Amanhã, deverá acontecer nova rodada de discussões.

Agencia Estado,

04 de outubro de 2001 | 16h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.