Brasil prepara nova geração de pilotos

Uma nova e promissora geração de pilotos brasileiros da Fórmula 3 já chama a atenção dos ingleses. Este é o primeiro estágio, na Europa, rumo à Fórmula 1. Depois das cinco primeiras corridas da temporada, Nelsinho Piquet e Danilo Dirani dividem a liderança do campeonato com 52 pontos enquanto Lucas Di Grassi é o 9º com 21 pontos. Em sua primeira temporada, Dirani venceu as duas corridas disputadas domingo no circuito de Croft, norte da Inglaterra. Nesta terça-feira, todos os pilotos fazem um teste coletivo em Snetterton.Ao mesmo tempo em que se aplicam nos testes e corridas da F-3, Nelsinho Piquet e Lucas Di Grassi preparam o futuro para chegar à Fórmula 1. Piquet, 19 anos, da Piquet Sports, já fez testes para a equipe Williams, deixando boa impressão e poderá, em 2005, tornar-se piloto oficial de testes da equipe, passo importante para tentar uma vaga a partir de 2006.Já Di Grassi, 19 anos, que já tinha feito corridas de Fórmula Renault, em 2003, faz parte do RDD - Renault Driver Development - um seleto grupo de sete pilotos que a fábrica francesa prepara para chegar às categorias top do automobilismo."Estou investindo nisso. Este pode ser um ótimo caminho para chegar à Fórmula 1, brevemente", comenta Di Grassi, o único brasileiro do projeto da Renault. Entre a F-3 inglesa e a F-1, Di Grassi acredita que possa disputar uma temporada da nova Fórmula 2.Enquanto Piquet e Dirani correm com Dallara/Mugen-Honda, Di Grassi corre com motor Dallara/Renault, pela equipe Hitech. "No começo da temporada, os Honda estavam na frente. Agora a Renault avançou e, até o final da temporada, teremos um motor com a mesma eficiência", diz di Grassi, vice-campeão da F-3 sul-americana em 2003, disputando apenas 12 das 18 corridas.Dirani, 21 anos, da equipe Carlin, nunca correu no Exterior antes de chegar à F-3 inglesa, este ano. "Estou aprendendo ainda", ele diz.Danilo venceu 14 das 18 provas de F-3 sul-americana no ano passado e confia nos próprios resultados para chegar à Fórmula 1."Estou aqui para isso. Não tenho dúvidas de que isso depende só de mim. Estou em uma ótima equipe. Se continuar vencendo, os convites vão chegar", conclui Danilo Dirani.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.