Brasileiros concordam com adiamento de prova da Fórmula Indy

Para os pilotos brasileiros Helio Castroneves (Penske), Vitor Meira (AJ Foyt) e Raphael Matos (AFS), o adiamento da etapa de São Paulo da Fórmula Indy 2011 para esta segunda-feira, às 9 horas, foi acertado. Não se poderia realizar a corrida no circuito do Anhembi com piso molhado.

MILTON PAZZI JR., Agência Estado

01 de maio de 2011 | 18h41

"Estava muito escorregadio, não dava para relargar. Se alguém roda na reta do Sambódromo podia ser fatal. Acertaram em deixar a corrida para o dia seguinte porque estava bem complicado", afirmou Castroneves. "Temos de pensar no espetáculo e quem pagou quer ver corrida, devemos fazer de tudo para que ela aconteça. Não é a primeira vez que acontece em um adiamento, nem o primeiro esporte", completou Meira.

"Foi a decisão correta por causa das condições. Tinha muita água na pista e o carro é muito baixo, então qualquer água a gente aquaplana, é difícil mesmo", emendou Matos. "Mas não podem culpar a pista por isso, choveu demais e quando não teve água treve prova da GT Brasil e tudo correu bem", completou.

A opinião contrária é de Bia Figueiredo (Dreyer&Reinbold) e Tony Kanaan (KV-Lotus). "Na segunda vez dava para continuar. Na primeira eu estava escorregando com o carro em segunda marcha na reta", contou Bia. "Dava para continuar, mas o problema era o tempo, ia escurecer. Podiam deixar a corrida rolar e encerrar quando não desse mais, dava os pontos pela metade e resolvido", opinou Kanaan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.