Brasileiros dominam treino da F-3000

Os brasileiros ficaram com as quatro primeiras posições no grid de largada da primeira etapa do Campeonato Internacional de Fórmula 3000, que será disputada a partir das 15h30 deste sábado. O paranaense Jaime Melo Júnior, da equipe Durango Formula, marcou a pole position com o tempo de 1min26s732. Ele percorreu os 4.309 metros do circuito à média de 178,854 km.Os também paranaenses Ricardo e Rodrigo Sperafico, irmãos gêmeos ficaram com a segunda e terceira posições, respectivamente. Ricardo corre pela Petrobras Junior Team e fez o tempo de 1min26s804. Rodrigo, da escuderia Coloni, marcou 1min26s930. O quarto colocado no grid é o amazonense Antonio Pizzonia, da Petrobras Junior. Pizzonia conseguiu o tempo de 1min26s998. O quinto brasileiro na categoria, o paulista Mário Haberfeld, da Super Nova Racing, largará na quinta fila (nona posição). Nos treinos classificatórios desta sexta-feira, ele deu 32 voltas, a melhor delas em 1min27s395.Considerada a categoria de acesso à Fórmula 1, a Fórmula 3000 terá 13 equipes participando da temporada e 26 pilotos no grid de largada. Os carros são padronizados: todos correm com chassis Lola, pneus Avon e motores Zytech de oito cilindros em V. Derivados dos antigos Judd de Fórmula 1, os propulsores Zytech desenvolvem cerca de 450 cavalos (contra uma média de 800 cavalos dos motores de Fórmula 1) e, por regulamento, são limitados a 9 mil rotações por minuto. Também de acordo com o regulamento, as equipes podem mexer em poucos itens do carro e os treinos são limitados. De acordo com Ricardo Divila, diretor técnico da Prost Junior Team, uma equipe gasta US$ 3 milhões por ano para colocar dois carros na pista.Por causa dessas restrições, os treinos desta sexta, única sessão para tomada de tempos, foi também a única oportunidade que os pilotos tiveram de conhecer a pista de Interlagos. Quem pôde, procurou ficar o maior tempo possível na pista. Jaime Melo deu 40 voltas no treino oficial. Ricardo Sperafico, 41. Seu irmão, Rodrigo, 40. E Pizzonia, 46.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.