Christian Charisius/Reuters - 7/5/2006
Christian Charisius/Reuters - 7/5/2006

Brawn celebra Schumacher e exibe otimismo para 2010

'Estou muito satisfeito de que Michael fará a sua tão esperada volta à Fórmula 1', disse o chefe da Mercedes

AE, Agencia Estado

23 de dezembro de 2009 | 10h32

Campeão de 2009, no comando da Brawn GP, o experiente Ross Brawn comemorou nesta quarta-feira o retorno do antigo companheiro Michael Schumacher à Formula 1 e previu mais uma temporada de sucesso no ano que vem, ao lado do heptacampeão mundial, na Mercedes, antiga Brawn GP. O piloto, que havia se aposentado em 2006, assinou contrato de três anos com a equipe alemã. 

"Estou muito satisfeito com a confirmação de que Michael fará a sua tão esperada volta à Fórmula 1 no próximo ano com a Mercedes GP. Como heptacampeão do mundo, seus recordes impressionantes na categoria falam por si mesmos e estou ansioso para trabalhar com ele novamente", celebrou o comandante da equipe.

Brawn e Schumacher empreenderam uma parceria de sucesso na Benetton, entre 1992 e 1995, e na Ferrari, de 1996 até 2006, ano da aposentadoria do piloto. Todos os sete títulos mundiais do alemão (1994, 1995, 2000, 2001, 2002, 2003 e 2004) foram conquistados com a ajuda do estrategista.

Empolgado com a reedição da parceria, Brawn esbanjou otimismo para 2010, quando terá a experiência de Schumacher aliada à juventude do também alemão Nico Rosberg.

VEJA TAMBÉM:
\"link\"Mercedes anuncia Schumacher
\"especial\"CARREIRA - A volta do heptcampeão 
\"enquete\" ENQUETE - Você aprova a volta dele?  
\"especial\" MERCADO - A dança das cadeiras
\"lista\" F-1 - Leia mais sobre a categoria
blog LIVIO - F-1, viagens e tecnologia
"Com nossa equipe completa, acredito que agora temos a parceria mais empolgante da Fórmula 1, com Michael e Nico, que dará uma perfeita mistura de talento, experiência, velocidade e juventude", comemorou.

O otimismo de Brawn não é à toa. Neste ano, ele surpreendeu a categoria com um eficiente carro, dotado de novos e polêmicos recursos, e faturou o título mundial com o piloto inglês Jenson Button, até então inexpressivo na F-1.

Sem o campeão de 2009, que defenderá as cores da McLaren em 2010, Brawn terá à sua disposição dois pilotos alemães, em uma equipe de mesma origem, com grande tradição na categoria. De quebra, contará com o patrocínio da Petronas, empresa petrolífera estatal da Malásia.

"Com a entrada dos investimentos dos novos patrocinadores e com esses dois pilotos empolgantes, temos todas as ferramentas necessárias para termos mais uma temporada de sucesso em 2010", afirmou o líder da Mercedes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.