Brawn ratifica: Schumacher não pára

Segundo Ross Brawn, diretor-técnico da Ferrari, há anos o profissional da Fórmula 1 mais próximo a Michael Schumacher, o piloto alemão continuará correndo não só depois de conquistar seu quinto título, este ano, como também depois de terminar seu contrato com a Ferrari, em 2004. "Vejo nele muita paixão no que faz e pelo que o conheço seguirá correndo por muitos anos ainda", afirmou Brawn. Domingo, no GP da França, Schumacher pode igualar-se a Juan Manuel Fangio como o maior vencedor da história da Fórmula 1. O contrato dos principais integrantes da Ferrari termina no fim de 2004. A imprensa inglesa chegou a publicar que Schumacher abandonaria as pistas ainda este ano, depois de conquistar seu quinto título. Brawn desmentiu a informação. A declaração do engenheiro inglês da Ferrari para a revista alemã Kicker, na sua edição desta segunda-feira, explica também a razão de a Ferrari ter estendido o compromisso de Rubens Barrichello até 2004. Jean Todt, diretor-esportivo da equipe italiana, não tem de se preocupar em preparar agora o substituto de Schumacher. "Michael está colhendo os frutos do nosso intenso trabalho nos três últimos anos. Não posso imaginar por que interrompê-lo agora", explicou Brawn. Já o ex-ferrarista Eddie Irvine, hoje na Jaguar, comentou nesta segunda-feira que a Ferrari entrará em decadência. "A carga de trabalho lá é incrível.Escutei algumas pessoas do time comentar que já foram muito longe e que a hora é de um descanso." Irvine foi vice-campeão do mundo em 1999, depois de a Ferrari concentrar nele suas atenções como decorrência do acidente de Schumacher no GP da Grã-Bretanha. Enquanto a previsão de Irvine não se materializa - há quem projete que essa queda irá demorar muito ainda - a Ferrari continua acumulando sucesso. O próximo pode ser domingo no circuito de Magny-Cours. Se Schumacher vencer a 11ª etapa do Mundial e Rubens Barrichello ou Juan Pablo Montoya, da Wiliams, não se classificarem em segundo, o alemão estabelecerá outro recorde histórico: o de definir mais rápido o campeonato da Fórmula 1. Cristiano da Matta - O brasileiro da Newman-Hass, líder da Fórmula Indy, tem mesmo possibilidades de transferir-se para a equipe Toyota da Fórmula 1, em 2003, para ser o companheiro de Mika Salo. A cada dia a informação ganha mais força. A Toyota está deixando a Indy e deseja continuar trabalhando com o talentoso piloto mineiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.