Brawn vê Mercedes no limite do fornecimento de motores

Fornecedora de três equipes, montadora está cotada para assumir também a Williams

AE, Agência Estado

09 de junho de 2010 | 10h52

Chefe da equipe Mercedes, Ross Brawn revelou nesta quarta-feira ser contrário à possibilidade da fabricante alemã aumentar a sua participação na Fórmula 1 com o fornecimento de motores para novas equipes. Atualmente, a Mercedes cede seu propulsores para McLaren e Force India, além de ter a sua própria equipe.

"Na minha opinião, como construtores, a Mercedes teria de pensar muito antes de adicionar outro cliente à nossa lista. Acho que estamos no limite quanto aos fornecimentos. Devemos ter certeza que há sempre uma possibilidade Cosworth para vender seus motores, não é o dever de um fabricante de automóveis", afirmou, em entrevista ao site da revista Autosprint.

O motor da Mercedes é considerado o mais potente da atual temporada da Fórmula 1 e recentemente surgiram especulações de que a Red Bull poderia trocar a Renault pela fabricante alemã. Mas se isso depender de Ross Brawn, não irá acontecer em 2011.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1MercedesRoss Brawn

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.