Briatore, chefe da Renault, deixará a F-1 dentro de 2 anos

Um das figuras mais conhecidas da categoria, italiano afirma que encerrará a carreira na equipe francesa

Efe,

14 de dezembro de 2008 | 15h27

O italiano Flavio Briatore, chefe de equipe da Renault, afirmou neste domingo que pretende deixar a Fórmula 1 dentro de dois anos. Perguntado pela imprensa italiana se poderia trabalhar na Ferrari algum dia, Briatore disse que isso não será possível, já que não ficará na F-1 por muito tempo. "Gosto de superar a Ferrari, mas quando minha equipe não vence, obviamente torço por eles, que são italianos como eu. Mas não acho que vá trabalhar em Maranello, até porque vou parar em dois anos", disse. Briatore gerencia a carreira de vários pilotos, como o brasileiro Lucas Di Grassi, e tem em seu currículo quatro títulos. Em 1994 e 1995, comandava a Benetton, que chegou ao bicampeonato com o alemão Michael Schumacher. Já em 2005 e 2006, viu o espanhol Fernando Alonso levantar a taça de campeão pela Renault.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Flavio BriatoreRenault

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.