Briatore cogita processar Nelsinho Piquet após decisão judicial

O ex-chefe de equipe da Renault Flavio Briatore disse, depois de ter revogado pela Justiça seu banimento da Fórmula 1, que provavelmente irá processar o piloto Nelsinho Piquet, que denunciou no ano passado a manipulação feita pela equipe no GP de Cingapura de 2008.

REUTERS

06 de janeiro de 2010 | 10h34

Por causa do escândalo, Briatore foi banido da F1 pela Federação Internacional do Automobilismo (FIA), decisão que foi revertida na terça-feira por um tribunal da França, sob o argumento de que a punição não tinha base judicial.

Briatore foi acusado de ter ordenado que Nelsinho batesse propositalmente para provocar a entrada do safety car e assim ajudar o seu colega de equipe Fernando Alonso a vencer aquela prova.

Em entrevista publicada na quarta-feira pela Gazzetta dello Sport, Briatore disse que "muito provavelmente" irá processar o brasileiro. "Não irei esquecer a dor que sofri um dia", declarou.

Jean-François Prat, advogado da FIA, disse à Reuters que um recurso contra a decisão da Justiça francesa é "muito provável."

A entidade disse também que a decisão só terá de ser cumprida quando todas as opções de recurso tiverem se esgotado, e lembrou que o tribunal não reverteu a conclusão de que Briatore conspirou para causar um acidente intencional.

Briatore disse que irá continuar gerindo a carreira de pilotos da F1 "como sempre", e ameaçou ir à Justiça contra os que o abandonaram.

"Além de Heikki Kovalainen e Lucas di Grassi, minha relação com os outros pilotos nunca mudou", disse ele. "Agora vamos ver a situação com os advogados para ver se podemos entrar com uma ação contra aqueles que romperam contratos conosco."

O extravagante italiano, que disse ainda não ter decidido seu futuro na F1, usou a imprensa do seu país para criticar duramente o ex-presidente da FIA Max Mosley, seu tradicional inimigo, e afirmou que sua saúde foi abalada com o episódio.

"Champanhe (para comemorar a decisão)? Não, abri uma Coca-Cola, porque estou de dieta. Tenho comido porcarias há três meses," disse Briatore, de 59 anos, prestes a ser pai mais uma vez. "Ainda não concordamos sobre um nome. Certamente não vai se chamar Max!."

(Reportagem de Mark Meadows e Antonella Ciancio)

Tudo o que sabemos sobre:
FIBRIATOREPIQUET*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.