Briatore coloca Ferrari como favorita, e elogia Nelsinho Piquet

Diretor da escuderia Renault afirma que equipe só poderá brigar pela ponta a partir do GP de Barcelona

Efe

09 de março de 2008 | 13h00

O diretor da escuderia Renault de fórmula 1, o italiano Flavio Briatore, disse que sua equipe, devido ao atraso acumulado, não poderá brigar com as melhores até o Grande Prêmio de Barcelona, em 27 de abril, e destacou que o brasileiro Nelsinho Piquet é um piloto "inteligente".  "Temos de nos recuperar de muitos atrasos do ano passado: mais de um segundo e meio em cada volta. Isso não se consegue em poucos meses", afirmou Briatore em entrevista publicada neste domingo pelo francês Le Journal du Dimanche.  Para ele, numa análise dos primeiros testes antes do início da temporada, "a Ferrari mais uma vez está acima" dos concorrentes, "seguida por McLaren, BMW, Williams e Renault, todas muito próximas". Sobre o brasileiro Nelsinho Piquet, que estréia este ano como piloto titular da equipe, o diretor da Renault destacou que é "inteligente". "Com a idade dele, já é uma sorte extraordinária estar em uma equipe de ponta. Não há competição entre ele e [o espanhol Fernando] Alonso. Seria um suicídio para Nelsinho: ele está aí para aprender. Logo chegará sua hora." Sobre o fraco desempenho de Alonso nos testes, Briatore afirma não estar preocupado, já que, em sua opinião, o bicampeão mundial nunca se entrega 100% nos treinos antes do início da temporada. Além disso, se mostrou "seguro de que, em Melbourne, Alonso estará melhor do que se diz".  Para concluir, Briatore também falou sobre a ida de Heikki Kovalainen para a McLaren, pois para ele, "para ter Alonso, alguém teria que sair", e acrescentou que a escuderia britânica queria o piloto finlandês. "Além disso, pensei que tínhamos que melhorar nossas relações."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.