Briatore entra com ação legal contra sua exclusão da F1

O ex-chefe da equipe Renault de Fórmula 1, Flavio Briatore, iniciou uma ação legal em um tribunal de Paris para tentar revogar sua exclusão da categoria, afirmou um porta-voz do tribunal nesta segunda-feira.

THIERRY LEVEQUE, REUTERS

19 de outubro de 2009 | 11h21

Briatore foi excluído da F1 pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) em setembro por seu papel no acidente armado do piloto brasileiro Nelsinho Piquet no Grande Prêmio de Cingapura no ano passado.

O italiano disse que argumentará que é seu direito ter uma defesa livre e justa contra as acusações. O pedido será encaminhado na terça-feira, segundo o porta-voz do tribunal.

No domingo, Briatore afirmou que a decisão de tirá-lo para sempre da F1 é um "absurdo".

De acordo com o comunicado, Briatore afirmará ainda que sua exclusão não foi imposta por um juiz imparcial, uma vez que o chefe do tribunal da FIA que tomou a decisão foi o presidente da entidade, Max Mosley.

"Neste caso, a FIA foi usada como uma ferramenta de vingança pelo interesse de um homem", disse Briatore em comunicado.

O ex-piloto da Renault Nelsinho Piquet denunciou à FIA um dos maiores escândalos da história da F1 após ser demitido da Renault, em julho. Ele disse que recebeu ordem e ameaças de Briatore para bater de propósito na corrida em Cingapura.

O acidente foi armado para forçar a entrada do safety-car na pista para ajudar seu então companheiro de equipe, Fernando Alonso, a vencer a corrida.

A Renault recebeu uma pena condicional, enquanto o ex-engenheiro-chefe da escuderia Pat Symonds foi banido do esporte por cinco anos.

Tudo o que sabemos sobre:
FIBRIATOREACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.