Luca Bruno/AP
Luca Bruno/AP

Briatore usa GP de Mônaco para reaparecer na F-1

Sem passar pelos boxes da Renault, ex-diretor da escuderia almoça com Ecclestone e volta ao seu iate

AE-AP, Agência Estado

14 de maio de 2010 | 15h16

Flavio Briatore voltou a aparecer em uma etapa de Fórmula 1 após ser proibido pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) de participar de qualquer atividade operacional na categoria até 31 de dezembro de 2012.

O ex-diretor da escuderia francesa esteve presente nesta sexta-feira no circuito de Montecarlo. Ele retornou depois de ter sido punido no episódio em que pediu, juntamente com o engenheiro da Renault, Pat Symonds, para que piloto brasileiro Nelsinho Piquet batesse de forma deliberada no GP de Cingapura de 2008 para beneficiar Fernando Alonso. Na ocasião, o piloto espanhol acabou vencendo a corrida.

Após almoçar com o dono dos direitos comerciais da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, Briatore acenou para torcedores e voltou para o seu iate ancorado no porto do principado de Mônaco. Questionado a respeito da presença do ex-chefe da Renault, o presidente da FIA, Jean Todt, respondeu: "E a liberdade dele? Por acaso ele está participando de alguma atividade no campeonato?", questionou.

Antes de a pena ser reduzida, Briatore chegou a ser banido da Fórmula 1. Porém, ao aceitar dividir com Pat Symonds a responsabilidade sobre a farsa que ajudou a armar, o ex-chefe da Renault teve a punição atenuada.

A Renault informou que Briatore não visitou os boxes da escuderia. Nesta sexta-feira, como já é tradicional em Mônaco, os carros não entraram na pista de Montecarlo. Neste sábado, haverá o treino oficial que definirá o grid de largada do GP de Mônaco, sexta prova da temporada, que será realizada no próximo domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.