Alberto Peña/EFE
Alberto Peña/EFE

Britânico ganha em Santiago e Massa abandona sua 3ª corrida na Fórmula E

Com 43 pontos, Sam Bird, da equipe Virgin, conquistou sua oitava vitória na categoria e a primeira na temporada

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

26 de janeiro de 2019 | 18h33

Após chegar ao pódio na etapa passada, o britânico Sam Bird faturou a sua primeira vitória na temporada 2018/2019 da Fórmula E, neste sábado, em Santiago, no Chile. O piloto da equipe Virgin soube aproveitar suas oportunidades no circuito de rua montado no Parque O'Higgins para vencer a prova e assumir a segunda colocação na classificação do campeonato. O melhor brasileiro da prova foi Nelsinho Piquet, da Jaguar, em 11º.

Felipe Massa, em sua terceira prova na categoria, voltou a ter dificuldades. Desta vez, não foram os problemas técnicos do seu carro, da equipe Venturi. Mas uma disputa de posições que acabou danificando o bólido, o que abreviou a corrida do brasileiro. Ele abandonou antes da metade da corrida. Já Lucas di Grassi sofreu com punições neste sábado. Largou em último, após obter a pole position, e encarou nova sanção ao longo da prova por um toque em um rival. Ficou, assim, apenas em 12º.

Com 43 pontos, Sam Bird conquistou sua oitava vitória na categoria. Ele foi acompanhado de perto durante quase toda a prova pelo alemão Pascal Wehrlein, ex-Fórmula 1, que terminou em segundo. O alemão Daniel Abt, parceiro de Di Grassi na Audi, completou o pódio. A liderança segue com o belga Jérôme D'Ambrosio, da equipe Mahindra, com 44 pontos.

Bird largou em quarto lugar neste sábado, mas fez boas ultrapassagens e aproveitou oscilações dos rivais para assumir a ponta antes da metade da corrida. Sem cometer erros e sem cair de ritmo, mesmo quando sua bateria já se aproximava do fim, ele sustentou a ponta com certa tranquilidade e confirmou o triunfo.

Maior destaque do treino classificatório, Lucas di Grassi precisou largar da 22ª e última posição por conta de uma punição relacionada a uma infração técnica do seu carro no treino classificatório. Entre os demais brasileiros, Felipe Massa manteve a décima colocação na largada e Nelsinho também tentou fazer uma corrida de recuperação, assim como Di Grassi.

Tentando encontrar seu melhor ritmo, Massa chegou a ganhar uma posição e pulou para o nono lugar nas primeiras voltas. Mas, numa situação improvável, foi praticamente prensado no muro por duas vezes seguidas e perdeu quatro colocações, caindo para 13º. Com avarias graves em sua Venturi, ele abandonou logo na sequência, faltando 26 minutos para o fim da prova, que teve duração de 45 minutos mais uma volta.

Enquanto Massa deixava a corrida mais cedo, Di Grassi e Nelsinho faziam vítimas no fundão e no pelotão intermediário. Após sair em 20º, Nelsinho apareceu em 14º na metade da prova. Di Grassi, que saíra em último, alcançava o 16º.

Com uma postura mais agressiva, o brasileiro chegou a tocar em um rival, sem gerar maior estrago. Exibindo forte ritmo, fez novas ultrapassagens até cruzar a linha de chegada na nona posição. Acabou oficialmente na 12ª posição porque foi punido pelo toque no argentino José Maria López. Beneficiado pela punição ao compatriota, Nelsinho terminou em 11º.

A prova foi marcada por seguidos e inesperados abandonos. Deixaram a prova mais cedo pilotos como o suíço Sebastien Buemi, que estava na briga pela primeira posição. Ele cometeu erro bobo e acertou o muro. O belga Stoffel Vandoorne e o francês Jean-Éric Vergne fizeram o mesmo.

Antes desta sequência, o alemão Maximilian Günther sofreu uma pane em seu carro e ficou parado na pista. A organização precisou acionar a bandeira amarela completa (equivalente ao safety car virtual da Fórmula 1), a 27 minutos do fim. A disputa foi liberada novamente a 21min. Na parte final, Bird e Wehrlein concentraram a disputa até que o britânico cruzou a linha de chegada na frente.

Após a disputa na capital chilena, a temporada da Fórmula E terá um intervalo de três semanas até a quarta etapa, que será realizada na Cidade do México, no dia 16 de fevereiro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.