Bruno Senna garante não estar traumatizado após acidente

Bruno tinha apenas 10 anos no fatídico 1.º de maio de 1994, data em que perdeu o tio, Ayrton, e o Brasil ficou sem Senna, tricampeão mundial de Fórmula 1. Hoje, com 22 anos, piloto da Fórmula 3 inglesa, o sobrinho do ídolo precisa driblar os corações apertados da mãe, Viviane, e dos avós, Milton e Neide. O momento mais delicado de sua curta carreira, interrompida por pressão familiar após a morte do tio no GP de Ímola e retomada apenas no ano passado, aconteceu domingo, na primeira volta da etapa de Snetterton da Fórmula 3, competição da qual era líder e agora ocupa a terceira posição. Senna bateu no carro do mexicano Salvador Durán, perdeu o controle, capotou várias vezes e parou apenas na área de escape. ?A primeira coisa que pensei foi em sair logo do carro?, afirmou. ?Minha mãe estava assistindo à corrida. Queria que ela visse que eu estava bem. Ela me apóia 100% e criou confiança, viu que eu tenho boas condições de fazer o que eu sempre quis.? Nesta terça-feira, sempre sob holofotes, estreou em Interlagos. Não em um carro, mas na passarela da São Paulo Fashion Week - desfilou para a Cavalera, grife que o patrocina. ?Parei muito mais tempo do que queria. Tentei fazer do automobilismo um hobby, mas não deu.? Agora, piloto e modelo de ocasião, admitiu. ?O menos difícil é pilotar. Complicado é todo o resto.?

Agencia Estado,

18 Julho 2006 | 18h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.