Button diz que McLaren entrou na luta pelas vitórias novamente

O inglês foi o mais rápido na sessão de sexta com pista quase seca

LIVIO ORICCHIO, O Estado de S. Paulo

20 de julho de 2012 | 17h06

HOCKEINHEIM - O treino de classificação do GP da Alemanha, nesta quinta-feira em Hockenheim, não deverá revelar o quanto a McLaren andou para a frente com a versão do modelo MP4/27 utilizada pela primeira vez nos dois treinos livres. “O carro é muito melhor”, afirmou Jenson Button, o mais rápido na sessão de sexta, com pista quase seca. “Mas temos muito ainda o que entender sobre como trabalhá-lo no asfalto molhado. À tarde, com chuva, não fomos bem, e essa é a previsão para a definição do grid amanhã (quinta)”, disse o campeão do mundo de 2009.

Fernando Alonso, da Ferrari, comentou depois do GP da Grã-Bretanha, em Silverstone, dia 8, que via a si próprio, líder do Mundial, com 129 pontos, e a dupla da Red Bull, Mark Webber, segundo, 116, e Sebastian Vettel, terceiro, 100, como os prováveis pilotos que irão disputar o título nas etapas finais. Se o que Button garantiu ontem proceder, a McLaren reencontrou o caminho das vitórias, Alonso, Webber e Vettel podem ter a companhia de Lewis Hamilton, companheiro de Button na McLaren, quarto na classificação, com 92 pontos, no grupo dos candidatos a vencer o campeonato.

A nova versão do MP4/27 explora melhor os efeitos aerodinâmicos dos gases do escapamento. Apesar da tentativa de proibir esse efeito, este ano, ainda é a área onde se pode ganhar significativo desempenho, tornando a Fórmula 1 essencialmente numa competição entre projetistas hábeis dessa tarefa, em detrimento de tantos outros setores de um automóvel capazes de gerar performance, impedidos de serem desenvolvidos pelas severas restrições impostas do regulamento. Dentro da própria Fórmula 1 há críticas a essa política insensata estabelecida por representantes dos próprios times e a FIA.

Hamilton celebra na Alemanha seu centésimo GP. “Quase seis anos já na Fórmula 1, é assustador como o tempo passa rápido”, comentou o campeão do mundo de 2008. Button, oitavo, com 50 pontos, está muito distante para sonhar com novo título. Precisaria de combinação de resultados pouco prováveis, mas, claro, não impossíveis.

O dia foi bastante movimentado ontem, em Hockenheim. De manhã choveu e em seguida parou. À tarde a chuva esteve mais constante. Essa instabilidade do tempo é esperada para esta sexta também, num cenário semelhante ao do último GP, na Inglaterra.

Alonso não conversou com a imprensa para falar do primeiro dia de treinos e principalmente da sequência da programação no fim de semana em Hockenheim. A Ferrari escalou Massa. Com o asfalto úmido da manhã Alonso registrou o terceiro tempo e Massa, o oitavo. “Estivemos sempre os mais rápidos enquanto chovia e essa é a previsão.” No seco ou com pista molhada Massa acredita que o desempenho da Ferrari será como o de Silverstone, lutando pelas primeiras colocações. Lamentou não poder avaliar as novas peças introduzidas no modelo F2012 por causa do tempo.

Bruno Senna entrou na sessão da tarde, apenas, depois de os mecânicos trabalharem apressadamente para recupera a Williams danificada num acidente pelo terceiro piloto, o rápido finlandês Valtteri Bottas, de manhã. Parte dos componentes novos levados pela equipe para Hockenheim foi danificada. “À tarde choveu o tempo todo, não deu para trabalhar no acerto do carro.” Ficou com o 16.º tempo. A previsão da Williams é a mesma de McLaren e Ferrari para a tomada de tempos do sábado: chuva.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1F-1McLarenJenson Button

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.