Mick Tsikas/Reuters
Mick Tsikas/Reuters

Button ganha na Austrália, Massa é 3.º e Alonso lidera

Inglês surpreende e aproveita problemas dos Red Bulls para ganhar a 1.ª na McLaren

MILTON PAZZI JR., estadão.com.br

28 de março de 2010 | 05h05

Jenson Button conseguiu neste domingo sua primeira vitória na McLaren, no GP da Austrália de Fórmula 1. O atual campeão mundial surpreendeu aproveitando a confusa corrida em Melbourne - com a ajuda da chuva -, ficando à frente do polonês Robert Kubica (Renault) e o brasileiro Felipe Massa (Ferrari), terceiro, novamente no pódio.

A vitória do inglês não significou que a liderança do Mundial de pilotos tenha mudado, após duas corridas da temporada 2010. A ponta ainda é do espanhol Fernando Alonso, que chegou em quarto lugar com sua Ferrari, e agora soma 37 pontos. O vice é Massa, com 33, ficando Button com o terceiro lugar, com 31 pontos. Sua festa no pódio - a oitava vitória na carreira - tinha o contraste da frustração do companheiro Lewis Hamilton, apenas sexto.

Quem teve um bom desfecho na prova foi o brasileiro Rubens Barrichello (Williams), chegando em oitavo lugar e novamente somando pontos. Os outros dois brasileiros, Bruno Senna (HRT) e Lucas Di Grassi (Virgin), tiveram problemas em seus carros e não completaram. 

LARGADA

A chuva caiu cerca de 10 minutos antes da largada e a pressão psicológica sobre os adversários começou aí. Muitos usaram cobertores de pneus lisos (como blefe), mas todos acabaram saindo com intermediários, pois a pista estava suficientemente escorregadia. O começo foi complicado para a dupla da Virgin - Timo Glock e Di Grassi -, que saiu dos boxes. Jarno Trulli também teve problemas antes da volta de apresentação e sequer largou com seu Lotus.

Na largada, um acidente com três campeões mundiais: Button atinge, na freada, com o pneu esquerdo dianteiro no meio da Ferrari de Alonso, que bate na asa dianteira do Mercedes de Michael Schumacher e roda, ficando ao contrário e caindo para a última posição. Esta, porém, foi só a primeira confusão.

 
Mark Horsburgh/Reuters

Kobayashi e seu Sauber passam por cima de Hulkenberg

Ainda na primeira volta, na curva 6, Kamui Kobayashi (JAP/Sauber) perdeu a asa dianteira (assim como aconteceu no primeiro treino livre) e virou passageiro até bater no muro à direita e atravessar a pista, atingindo Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso) e Nico Hulkenberg (ALE/Williams) no meio, quando eles entravam na curva. Ninguém se machucou, mas os carros ficaram bastante danificados.

MUDANÇAS

Como a pista escorregava e havia a necessidade de uma troca obrigatória de pneu, associada à ameaça de volta de chuva, quase todos os pilotos entraram nos boxes para troca, numa cena bastante curiosa e incomum. Nessa correria, Massa, que tinha assumido o segundo lugar com uma excelente largada, caiu para o quinto. Só o líder era o único que não mudava: Sebastian Vettel (por mais alguns minutos).

O brasileiro da Ferrari protagonizou outros grandes momentos. Na volta 16, Mark Webber aproveitou o vácuo e o ultrapassou no fim da reta dos boxes. No embalo, Hamilton passou junto. Na curva seguinte, o australiano e o inglês dividiram a curva, se tocaram, com o Red Bull indo para a brita, e Massa aproveitando para recuperar a posição.

A corrida parecia que ia se estabilizar até que chegou a volta 26. Vettel preparava para contornar a curva quando reduziu as marchas de seu Red Bull, girou o volante e... O carro não virou, passando reto e indo direto para a área de escape. Desapontado com a quebra - que lhe tirou pela segunda vez uma possível vitória -, ele suspeitava de que o problema foi no freio da roda dianteira direita.

Quem agradeceu foi a McLaren - que vibrou bastante nos boxes -, pois Button, que já tinha até andado na última posição, assumiu a liderança, com Hamilon em terceiro e se aproximando muito rápido de Kubica, o segundo. Tranquilo na frente, o campeão do mundo ficou apenas assistindo a briga dos rivais, sempre o polonês da Renault em segundo, mas com Hamilton, Webber, Massa e Alonso colados logo atrás. 

Preocupados com o desgaste de pneus, Hamilton e Webber foram para o box e deixaram o caminho livre para as duas Ferrari passarem a pressionar Kubica diretamente. Embora conseguisse evitar a ultrapassagem, o ritmo mais lento do polonês possibilitou a reaproximação do inglês e do australiano pouco depois de suas trocas. Nenhum dos quatro primeiros parou para mudar os pneus após a chuva cessar, o que se mostrou um drama no final da prova.

A seis voltas do fim, os cinco pilotos estavam próximos, com cerca de 1s de diferença entre todos. O problema das Ferraris era manter a velocidade na pista com os pneus desgastados. A fila indiana tinha um bloco Alonso-Hamilton-Webber, brigando pela quarta, quinta e sexta posição. A duas voltas do fim, Hamilton resolveu arriscar a passar Alonso, mas não conseguiu e bateu com Webber. O prejuízo: australiano perdeu o bico e teve de parar no box, caindo para o nono lugar e salvando dois pontinhos. O inglês conseguiu se manter na pista para chegar em sexto.

VEJA TAMBÉM:
\"ponto\" Button exalta a estratégia em 1.ª vitória pela McLaren
\"ponto\" Ascensão na largada foi fundamental para Massa
\"ponto\" Opção por pneus duros atrapalha Barrichello
\"ponto\" Outra pane hidráulica tira Bruno Senna
\"foto\" GALERIA - as imagens do acidente de Kobayashi e da corrida australiana
\"especial\" CALENDÁRIO - Todas as etapas de 2010
\"lista\" F-1 - Leia mais sobre a categoria
blog LIVIO - F-1, viagens e tecnologia
Schumacher novamente não teve um dia bom. Depois da batida na primeira volta, que o obrigou a três paradas - uma a mais que a média - e levou 46 voltas para passar Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso). Ainda passou Pedro de la Rosa (Sauber) e terminou em 10.º lugar, mas longe do companheiro e compatriota Nico Rosberg, quinto colocado.

FRACO

As equipes estreantes continuam longe de ter algum desempenho bom. A Lotus do italiano Jarno Trulli nem foi para a pista. O finlandês Heikki Kovalainen atrapalhou muita gente com a lentidão de seu carro. O indiano Karun Chandhok (HRT) pelo menos terminou a corrida, apesar de cinco voltas atrás e marcando tempos cinco segundos piores do que o do tempo do líder.

Bruno Senna teve de parar seu HRT na quarta volta, quando novamente teve um problema hidráulico e não conseguiu trocar marchas e Lucas Di Grassi conseguiu dar 24 voltas com seu Virgin, quando estacionou nos boxes e abandonou. O mesmo fez o companheiro Timo Glock, mas 17 voltas depois.

A próxima corrida está marcada já para o próximo domingo, 4 de abril, o GP da Malásia, em Kuala Lumpur, sob forte calor, com largada às 5 horas (de Brasília) para 56 voltas.

FÓRMULA 1 2010 - GP DA AUSTRÁLIA

CLASSIFICAÇÃO FINAL

1.º - Jenson Button (ING/McLaren), 58 voltas, 1h33min36s531

2.º - Robert Kubica (POL/Renault), a 12s034

3.º - Felipe Massa (BRA/Ferrari), a 14s488

4.º - Fernando Alonso (ESP/Ferrari), a 16s304

5.º - Nico Rosberg (ALE/Mercedes), a 16s683

6.º - Lewis Hamilton (ING/McLaren), a 29s898

7.º - Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India), a 59s847

8.º - Rubens Barrichello (BRA/Williams), a 1min00s536

9.º - Mark Webber (AUS/Red Bull), a 1min07s319

10.º - Michael Schumacher (ALE/Mercedes), a 1min09s391

11.º - Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso), a 1min11s301

12.º - Pedro de la Rosa (ESP/Sauber), 1min14s084

13.º - Heikki Kovalainen (FIN/Lotus), a 2 voltas

14.º - Karun Chandhok (IND/HRT), a 5 voltas

Não terminaram a corrida:

Timo Glock (ALE/Virgin), volta 41, abandono

Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), volta 26, quebra

Lucas Di Grassi (BRA/Virgin), volta 24, abandono

Adrian Sutil (ALE/Force India), volta 14, abandono

Vitaly Petrov (RUS/Renault), volta 10, abandono

Bruno Senna (BRA/HRT), volta 4, quebra

Nico Hulkenberg (ALE/Williams), volta 1, acidente

Kamui Kobayashi (JAP/Sauber), volta 1, acidente

Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso), volta 1, acidente

Jarno Trulli (ITA/Lotus), volta zero, abandono

Volta mais rápida: Mark Webber (AUS/Red Bull), 1min28s358, na volta 47

MUNDIAL DE PILOTOS

CLASSIFICAÇÃO

1.º - Fernando Alonso, 37 pontos

2.º - Felipe Massa, 33

3.º - Jenson Button, 31

4.º - Lewis Hamilton, 23

5.º - Nico Rosberg, 20

6.º - Robert Kubica, 18

7.º - Sebastian Vettel, 12

8.º - Michael Schumacher, 9

9.º - Vitantonio Liuzzi, 8

10.º - Mark Webber, 6

11.º - Rubens Barrichello, 5

12.º - Jaime Alguersuari, Pedro de la Rosa, Adrian Sutil, Heikki Kovalainen, Nico Hulkenberg, Karun Chandhok, Sebastien Buemi, Jarno Trulli, Timo Glock, Lucas di Grassi, Bruno Senna, Vitaly Petrov e Kamui Kobayashi, zero.

MUNDIAL DE CONSTRUTORES

CLASSIFICAÇÃO

1.º - Ferrari, 70 pontos

2.º - McLaren, 54

3.º - Mercedes, 29

4.º - Renault, 18

5.º - Red Bull, 18

6.º - Force India, 8

7.º - Williams, 5

8.º - Toro Rosso, Sauber, Lotus, HRT e Virgin, zero.

Atuliazado às 15h02 para correção de informação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.