Calendário de 2014 de F-1 deve ter 19 etapas novamente

Bernie Ecclestone fala em 20 provas, mas o chefão da categoria ainda pode perder uma corrida

Livio Oricchio; enviado especial, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2013 | 14h54

ZURIQUE - A confirmação do GP da Áustria no calendário do ano que vem deixou as equipes em polvorosa. Isso porque já havia sido anunciado que a Rússia, com um autódromo em Sochi, e os Estados Unidos, com um circuito de rua em Nova Jersey, também estavam confirmados para 2014. O Mundial passaria a ter, portanto, 22 etapas: as 19 deste ano e mais três novas. Bernie Ecclestone, no entanto, adiantou aos chefes das escuderias que o campeonato terá 20 provas apenas.

Qual é a mágica, então? Em Budapeste, no fim de semana, ao mesmo tempo em que Ecclestone assinou a extensão do contrato com os húngaros até 2021, comentou ser bem pouco provável que o GP da Índia seja realizado em 2014. O governo local cobra elevadas taxas das equipes para entrar com seus equipamentos no país. Não há isenção, apesar de se tratar de uma atividade esportiva e, principalmente, levarem de volta consigo depois do evento concluído.

Leia Também

+ Velocidade

Durante a etapa de Xangai, Ecclestone afirmou ao Estado duvidar que a corrida de Nova Jersey saísse do papel. Assim, já são duas provas que, provavelmente, não sejam disputadas. E existe ainda até mesmo o risco de o calendário manter 19 corridas, nem mesmo 20, como este ano. O motivo é a dificuldade financeira do promotor do GP da Coreia do Sul. Mokpo, onde se encontra o autódromo, localiza-se a três horas de trem-bala de Seul, 600 quilômetros ao sul da capital coreana. Por mais que o público se interesse pela Fórmula 1, o que também não é o caso por não haver a cultura do automobilismo, o deslocamento e as despesas necessários para assistir ao GP são elevados. O evento é deficitário.

Nesse momento, início da segunda metade da atual temporada, e próximo de a FIA divulgar o pré-calendário de 2014, está mais ou menos acertado que a abertura do campeonato será em Bahrein, pelo fato de o último teste da pré-temporada estar marcado para o Oriente Médio, Bahrein, Abu Dabi ou Dubai, este o mais provável, a fim de Pirelli, pilotos e equipes entenderem como carro e pneus se comportam no calor que depois vão enfrentar durante o campeonato.

Na sequência viriam Malásia, Austrália, China, Espanha, Mônaco, Canadá, Grã-Bretanha, Áustria, Alemanha, Hungria, Bélgica, Itália, Rússia, Cingapura, Japão, Abu Dabi, Estados Unidos (Austin) e Brasil. Em breve, a Fórmula 1 saberá para onde irá e quando em 2014.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
velocidadef-1f1calendário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.