Calor gera dúvida quanto aos pneus para os treinos da F-1

Mudança no clima faz escuderias estudarem se utilizam pneu pouco usado até agora: o supermacio

Milton Pazzi Jr, Estadao.com.br

20 de outubro de 2007 | 10h14

Com sol e céu aberto, temperatura da pista a 40ºC, este sábado em Interlagos é de expectativa para o resultado do treino que definirá o grid de largada do Grande Prêmio do Brasil, às 14 horas, de Brasília (com acompanhamento online do estadao.com.br). As escuderias estudam se utilizarão um pneu que foi pouco usado nos treinos da sexta-feira: o supermacio. Veja também:  Vídeo de Hamilton aos 12 anos de idade Dê uma volta pelo Circuito de Interlagos Classificação do Mundial   Você perdoaria Felipe Massa se ele abrisse mão da vitória no GP do Brasil para que Kimi Raikkonen fosse campeão? Hamilton é o mais rápido no 2.º treino para o GP do Brasil Na 1.ª sessão, Ferrari é a melhor; veja a classificação Hamilton é investigado por possível infração de norma sobre pneus O composto é mais aderente e sua utilização depende muito de como estiver o emborrachamento da pista, pela aderência, já que a pista teve treino com chuva pela manhã e seca à tarde, mas não com temperatura tão alta. "Temos conclusões bem diferentes com os pneus macio e supermacios. Sem a previsão de chuva, com clima quente, já sabemos o que fazer e isso não mudará caso aconteça uma mudança dramática", afirmou Hirohide Hamashima, diretor de Bridgestone. Os últimos testes serão feitos no treino livre desta manhã, que começa às 11 horas. As equipes, que chegaram cedo ao Autódromo de Interlagos, passaram a manhã fazendo os últimos testes nos carros e treinando os pitstops. O público é pequeno, mas a expectativa é de casa cheia à tarde, assim como no domingo, na hora da corrida.

Tudo o que sabemos sobre:
fórmaul 1GP do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.