Carrapatoso fez espanhol comer poeira

Poucos sabem, mas existe um brasileiro que já deixou Fernando Alonso para trás. Há cinco anos, no Campeonato Mundial de Kart, realizado na Itália, Ruben Carrapatoso foi o campeão em cima do espanhol. O tempo passou, a sorte mudou e enquanto o piloto da Renault está prestes a se tornar o mais jovem campeão da Fórmula 1, o brasileiro de 24 anos procura patrocínio e ainda não sabe para qual categoria seguirá."Há duas semanas eu estava testando para a categoria A1 lá na França, mas ainda não sei para onde irei. Talvez Estados Unidos, talvez Europa", contou Ruben Carrapatoso, que foi o principal rival de Alonso no kart.A lembrança da conquista do título no kart sobre o espanhol faz Ruben Carrapatoso abrir um enorme sorriso. "Foi engraçado. O Mundial era realizado em um fim de semana, em várias baterias. Lembro que havia mais de 100pilotos. Eu sempre chegava em primeiro e o Alonso em segundo. De cinco baterias, ganhei quatro e ele, uma. Na final, quando estávamos na terceia ou quarta volta, o carro dele quebrou e euganhei tranqüilamente", contou o brasileiro.O tempo passou, os dois perderam contato. "Apenas nos cumprimentamos hoje. O pessoal vai para a Fórmula 1 e acaba ficando mais metido, né? Naquele tempo tinha muita gente boa, já corri com o Kimi (Raikkonen) também", revelou Ruben Carrapatoso.O piloto brasileiro acha que Alonso teve muita sorte nesta temporada. "Foi muito sortudo, sim. Mas no automobilismo todo mundo precisa de sorte. É um dos poucos esportes que não depende só de você, mas do carro. Além disso, podemos comparar: você pega um cara na Espanha que surge, tem bons resultados, é claro que alguém vai querer investir nele. No Brasil tem muito mais pilotos que se destacam em várias categorias. É difícil passar no funil", disse Ruben Carrapatoso.O brasileiro lamenta a falta de verba na carreira: "Não tinha grana para chegar à Fórmula 1. É muito difícil, ainda mais aqui no Brasil, onde se você não ganha o primeiro lugar, não vale nada."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.