Cart procura um novo presidente

A Cart - Championship Auto Racing Teams - procura um novo presidente. Depois de uma longa reunião, na terça-feira, em Phoenix, Arizona, o Comitê de Diretoria decidiu que a entidade responsável pelas provas da Fórmula Indy precisa de um dirigente com mais experiência no automobilismo. O atual presidente da Cart, Joseph Heitzler, ficará no cargo até a contratação do novo CEO. Depois permanecerá na Cart, cuidando apenas da presidência do Comitê de Diretores. A Cart é uma empresa de capital aberto e o Comitê de Diretores é o responsável pelas decisões mais importantes. O presidente e CEO cuida dos contratos com promotores, patrocinadores e também das transmissões por televisão, entre outras atividades. A Cart teve em 2001 uma temporada difícil. Duas corridas - Rio de Janeiro e Texas Motor Speedway - não foram disputadas, com grandes prejuízos para a categoria. Os promotores do Texas Motor Speedway estão processando a Cart porque os pilotos se recusaram a participar da prova, horas antes da largada, alegando que a velocidade dos carros, neste circuito, ultrapassava a barreira da segurança. A Cart ainda teve problemas com as transmissões das corridas nos Estados Unidos. A entidade pagou para a ABC transmitir algumas das provas. Finalmente, a divergências da direção da Cart com um dono de equipe poderoso como Roger Penske acabou provocando a decisão do Comitê de Diretores que, entre outros, conta com o próprio Joseph Heitzler, Chip Ganassi, Derrik Walker, Pat Patrick, Carl Haas e Gerald Forsythe. A decisão de escolher um novo presidente foi adotada por consenso. Pat Patrick explicou depois que a destituição de Andrew Craig, o antigo presidente da Cart, foi um ato diferente. O Comitê de Diretores, simplesmente, o demitiu e a presidência, na mesma reunião, passou a ser ocupada por Bobby Rahal até a escolha de Heitzler. "Desta vez, escolhemos outro caminho. Heitzler é um excelente presidente do Comitê e vai continuar com sua gestão. Queremos apenas um executivo que conheça bem o automobilismo de competição e possa desenvolver os trabalhos da Cart", disse Patrick. Na véspera, Barry Green fez um anúncio oficial, garantindo que permanecerá na Cart em 2002 e negando a possibilidade de transferir-se para a Indy Racing League como deverá ocorrer com a Penske. Chris Pook, organizador tradicional das corridas de Long Beach, é um dos preferidos das equipes para o cargo de CEO da Cart. Mas, em 2002, ele terá ainda a incumbência de fazer a primeira corrida da Cart em Denver. Por isso, o mais provável é que ele não aceite o convite.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.