Castro Neves é a sensação da Indy

Gil de Ferran é o atual campeão e neste domingo assumiu a liderança. Michael Andretti tem um dos nomes mais consagrados da história do automobilismo norte-americano. Adrian Fernandez é ídolo da comunidade mexicana, muito presente nos Estados Unidos. Mas é o brasileiro Hélio Castro Neves quem tem chamado mais a atenção do público que acompanha a Fórmula Indy.Além da ótima performance na temporada da Indy, Helinho ainda venceu esse ano as 500 Milhas de Indianápolis, uma das mais tradicionais provas de automobilismo do mundo e que atualmente faz parte do calendário da IRL. Isso dá muito prestígio e espaço na mídia norte-americana. Mas não é só isso. O brasileiro da Penske é hoje o piloto mais carismático da categoria.Para se ter uma idéia do que isso significa, até mesmo no Canadá, onde foi disputada a etapa de Vancouver neste fim de semana, Helinho recebeu uma atenção maior do que os próprios pilotos canadenses: Paul Tracy, Alex Tagliani e Patrick Carpentier. Sempre sorrindo, o brasileiro acena para a arquibancada a cada vez que ouve seu nome gritado insistentemente pelos torcedores: "Helio!" "Os resultados ajudam, mas grande parte disso é fruto da minha personalidade. Sou um cara muito feliz e estou sempre disposto a atender o público. Um sorriso não custa nada", afirma Helinho, consciente de que está numa grande fase e que precisa aproveitá-la. "Também já fui um fã e sei o quanto é legal receber a atenção do ídolo. Quando corria na Indy Lights e pilotos como o Gil (de Ferran) e o (Mauricio) Gugelmin falavam oi para mim, achava o máximo", lembra ele.Grande parte desse apelo é fruto também da forma como Helinho comemora suas vitórias. Sem medo de romper o protocolo, ele corre para o alambrado e se pendura, vibrando perto do público, como se estivesse acabado de marcar um gol num jogo de futebol. Por isso, já ganhou o apelido de "Homem-aranha". "Foi uma coisa que fiz sem planejar e acabou dando certo. Virou uma marca. Eu até queria fazer mais do que isso, mas o pessoal não deixa", revela.Helinho está em sua quarta temporada na Indy. Tem grandes chances de ser campeão esse ano. E, apesar de todo esse sucesso que está alcançado com o público da categoria, tem sonhos mais ousados. Sempre sorrindo, ele avisa: "No momento, quero ser o campeão e só penso nisso. É claro que gostaria de ir para a Fórmula 1 um dia, mas se não for agora, posso esperar. Adoro estar correndo na Penske, tenho outro ano de contrato e tenho só 26 anos". Afinal, como ele mesmo diz. "Comigo não tem tempo ruim."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.