Categoria tem 10 provas e votação pela internet para potência extra

No total, 11 ex-pilotos da Fórmula 1 disputam o campeonato nesta temporada; Bruno Senna, Nelsinho Piquet e Di Grassi estão na lista

Ciro Campos e Diego Salgado, O Estado de S. Paulo

12 Setembro 2014 | 07h00

A interação com o público é um dos grandes objetivos da Fórmula E. A categoria traz a iniciativa inovadora dos fãs votarem pela internet antes de cada prova para escolher qual piloto deve receber potência extra para as corridas. Os três mais populares vão ganhar 90 cavalos a mais.

A ideia é procurar atrair os fãs de automobilismo a participarem do evento. Essa preocupação, aliás, também norteou a montagem do calendário. Como as pistas são de rua e passam perto de pontos turísticos, facilitam o acesso para o público acompanhar as corridas. A concorrência pelo posto de piloto mais popular promete ser acirrada, pois vários dos pilotos já são conhecidos por quem acompanha automobilismo. Dos 20 nomes, 11 já passaram pela Fórmula 1.

Além de Bruno Senna, Nelsinho Piquet e Lucas di Grassi, a categoria conta com o espanhol Jaime Alguersuari, o indiano Karun Chandhok e os franceses Stéphane Sarrazin e Franck Montagny, que tiveram breves passagens na Fórmula 1. Completam a lista os conhecido Sebastien Buemi, Jarno Trulli, Nick Heidfeld e Takuma Sato.

Há também duas mulheres na categoria: a italiana Michela Cerruti e a inglesa Katherine Legge. A primeira será companheira de equipe de Trulli, na equipe do ex-piloto da Fórmula 1. Legge, por sua vez, terá Sato ao seu lado na Amlin Aguri - em 2005, ela foi piloto de testes da Minardi.

ATRAÇÃO

A temporada da Fórmula E vai durar pouco menos de dez meses, entre 13 de setembro de 2014 e 27 de junho de 2015. No total, nove provas têm cidade definidas, todas em circuitos de rua: Malásia (Putrajay), Uruguai (Punta del Este), Argentina (Buenos Aires),  Estados Unidos (Miami e Long Beach), Mônaco (Monte Carlo), Alemanha (Berlim) e Reino Unido (Londres). O local da quinta etapa, que ocorrerá em fevereiro, ainda não foi divulgado.

Segundo Nelsinho, o formato é perfeito para atrair novos fãs. "É legal porque vamos correr em grandes capitais que nunca tiveram corrida. Será no centro da cidade, em um formato que a Fórmula E pode ter: sem barulho, em um só dia de evento, em pistas não muito grandes." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.