CBA repudia briga de pilotos na Granja Viana e pede punições

Rodrigo Dantas e Tuka Rocha trocaram socos após uma disputa que tirou o kart de ambos da prova

Estadão Conteúdo

17 de dezembro de 2017 | 15h02

A Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) repudiou neste domingo a briga envolvendo pilotos durante a disputa das 500 Milhas da Granja Viana, em Cotia (SP), no sábado. Rodrigo Dantas e Tuka Rocha trocaram socos praticamente na pista após uma disputa que tirou o kart de ambos da prova.

+ Arena Corinthians recebe mais de 30 mil pessoas em evento de caminhões monstros

+ Clã Fittipaldi é a aposta para o Brasil resgatar tradição na Fórmula 1

"A Confederação Brasileira de Automobilismo vem a público manifestar seu total repúdio ao aviltante fato ocorrido durante as 500 Milhas de Kart Granja Viana. Cenas como as vistas neste último sábado desonram qualquer apaixonado por velocidade e lesam de forma contundente a imagem do nosso esporte", escreveu o presidente da entidade, Waldner Bernardo, o Dadai, em comunicado.

A confusão culminou na briga após uma disputa tensa entre duas equipes, uma delas liderada por Felipe Massa. A outra tinha Thiago Camilo e Bia Figueiredo como principais pilotos. Mas nem Massa e nem os dois rivais participaram da briga.

Os dois times estavam na luta pela liderança desde o começo da prova, que durou cerca de 12 horas ao longo deste sábado, com término somente na madrugada deste domingo. E os toques entre os karts vinham acirrando a disputa entre vários membros do time. Os pequenos incidentes ao longo da prova culminaram na troca de socos entre Dantas e Tuka.

"Atitudes assim não podem, sob nenhuma hipótese, passar incólumes. Pelo bem da nossa modalidade, exigimos que a Liga Paulista de Automobilismo e seu tribunal tomem atitudes enérgicas contra os personagens que geraram tão inqualificável episódio", afirmou Dadai.

Como consequência, a organização da prova desclassificou os dois times e todos os seus integrantes - o time de Rubens Barrichello ficou com a vitória.

Para o presidente da CBA, a punição terá que ser mais severa. "Ainda que o evento tenha sido realizado por uma instituição independente, ou seja, não subordinada às instâncias jurídicas da CBA, nós, como entidade máxima do automobilismo, daremos todo o apoio necessário para que a LPA possa fazer justiça junto aos envolvidos. Já nesta próxima segunda enviaremos um ofício a sua diretoria solicitando que sejam aplicadas todas as medidas cabíveis."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.