Chefão da Renault afirma que não haverá brigas na equipe

Flávio Briatore explica que Alonso terá privilégios e manda recado para o brasileiro Nelsinho Piquet

Efe,

29 de fevereiro de 2008 | 13h51

O italiano Flavio Briatore, chefe da Renault, afirmou que não haverá conflito entre os pilotos de sua escuderia, o brasileiro Nelsinho Piquet e o espanhol Fernando Alonso - para isso, o dirigente voltou a dizer que o bicampeão mundial terá total atenção da escuderia. Ele fez as declaração em razão da fama de problemático de Alonso, que deixou a McLaren na última temporada por causa de problemas com o inglês Lewis Hamilton - o espanhol queria atenção total dos ingleses. "Acho que Nelsinho não irá querer se suicidar em seu ano de novato. Quando a McLaren contratou um campeão mundial como Fernando e tem um novato como Hamilton devia saber como tratá-los", afirma Briatore ao jornal La Gazzetta dello Sport. "Nelsinho e Alonso trabalham para a Renault", acrescenta, "e eu tenho de aproveitar suas virtudes para obter o maior benefício para a equipe. É necessário considerar que, além deles, tenho muitas outras pessoas trabalhando para mim". Briatore afirmou que Alonso está "muito motivado", apesar da falta de potência mostrada até agora pela Renault em comparação com a Ferrari e a McLaren - a equipe francesa estréia no dia 16 de março, no Grande Prêmio da Austrália. "Fernando sorri agora. Está feliz com o que faz. Com 26 anos tem um trabalho fantástico e isto já é um triunfo. O vejo muito motivado, como em 2003. Voltará a ser o Fernando que conhecemos, o de 2004 e 2005", conclui o italiano.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Renault

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.