Chefe da equipe da Mercedes, Ross Brawn rejeita rumores sobre saída

Anúncio de novo diretor executivo levantou rumores sobre saída de Brawn

AE, Agência Estado

24 de janeiro de 2013 | 16h32

BRACKLEY - Chefe de equipe da Mercedes, Ross Brawn rejeitou nesta quinta-feira os rumores sobre uma possível saída futura do time, em razão do anúncio do novo diretor executivo Toto Wolff. Brawn disse que o novo membro da equipe vai "complementar" seu trabalho, mas reiterou que continuará sendo a "referência" da Mercedes na Fórmula 1.

"Estou no comando nos assuntos esportivos, técnicos e de corrida", declarou Brawn, diretor-técnico da Ferrari na época dos cinco títulos consecutivos de Michael Schumacher. "Temos que ter uma referência. Todos sabem que uma equipe de corrida só funciona se tiver uma referência. E eu sou esta referência".

Brawn afirmou que não haverá choque de líderes na Mercedes a partir da chegada de Wolff. O novo diretor executivo, segundo Brawn, vai se dedicar mais aos assuntos comerciais da Mercedes.

"Há todo um lado de negócios que, francamente, não gosto de me envolver. Não quero me atuar nas atividades comerciais diariamente, como o suporte que temos que dar a Daimler [empresa dona da Mercedes]. Há muitos assuntos em que Toto vai trabalhar, coisas que são complementares ao que eu estou fazendo na administração da equipe", explicou.

O austríaco Toto Wolff deixou a Williams para se juntar à Mercedes no início desta semana, gerando especulações sobre o futuro de Brawn. A transferência chamou a atenção porque o novo integrante da equipe se tornou também acionista e assumiu a função de Norbert Haug, aposentado no fim do ano passado, como chefe da divisão esportiva da Mercedes. Desta forma, terá atuação também nas ações da equipe na DTM e na F3, além da F1.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1MercedesRoss Brawn

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.