Arquivo/AE
Arquivo/AE

Chefe da Ferrari prevê mais sofrimento no GP do Bahrein

Stefano Domenicali espera recuperação da escuderia apenas para a etapa da Espanha do Mundial de Fórmula 1

AE

23 de abril de 2009 | 12h33

MANAMA, Bahrein - Ainda sem pontos após três etapas da temporada da Fórmula 1, a Ferrari passa por um de seus piores momentos na história da categoria. E o chefe da equipe, Stefano Domenicali, não mostra muito otimismo em uma recuperação imediata no GP do Bahrein, que acontece neste domingo, em Sakhir.

 

"Estamos passando por um início de temporada muito difícil. Sabíamos que seria sofrido na China, e é muito provável que o sofrimento continue neste fim de semana", afirmou Domenicali. O dirigente espera que a equipe se recupere com o início das provas europeias.

 

"É esperado que possamos dar um passo à frente no GP da Espanha, mas não podemos esperar que as demais equipes não consigam evoluir também. Eles não vão nos aguardar", disse.

 

Embora tenha adotado um discurso pouco otimista para a etapa bareinita, Domenicali afirma que a equipe não pode desistir da briga pelo campeonato. "Ainda há 252 pontos a serem disputados por equipe na temporada. Temos que trabalhar no desenvolvimento do carro, quaisquer que sejam os resultados da próxima corrida."

 

"Mesmo que a situação fique ainda pior, não vamos desistir porque isso definitivamente não faz parte da filosofia da Ferrari e, com as mesmas pessoas que estão aqui, já conseguimos reverter situações como esta, que todos julgavam ser impossíveis", disse o chefe de equipe.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FerrariStefano Domenicali

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.