Greg Baker/AFP
Greg Baker/AFP

Chefe da Ferrari reconhece desempenho ruim, mas diz que campeonato 'está aberto'

Apesar disso, Mattia Binotto afirma que o campeonato desta temporada está totalmente aberto

Redação, Estadão Conteúdo

24 de maio de 2019 | 19h13

Os 96 pontos que distanciam a Ferrari da Mercedes, líder do Mundial de Construtores da Fórmula 1 nesta temporada, não desanimam Mattia Binotto, chefe da escuderia italiana, que acredita que o campeonato está totalmente em aberto, apesar do domínio da rival alemã nas primeiras corridas - foram cinco dobradinhas nas cinco primeiras etapas da temporada.

Dessa maneira, o GP de Mônaco, disputado no próximo domingo, pode ampliar ainda mais a soberania da Mercedes no campeonato, ou, então, fazer a Ferrari ressurgir com Sebastian Vettel e Charlec Leclerc, o que não foi sinalizado nos primeiros treinos livres para a corrida no circuito monegasco, que teve Lewis Hamilton no primeiro lugar.

"Eu acho que o jogo está longe de estar fechado", afirmou Binotto. "Certamente está totalmente aberto. Acho que podemos comparar Mônaco com Baku e fomos bem em Baku (no Azerbaijão). A Mercedes mostrou-se muito forte novamente (nos treinos livres). Há muito o que fazer, mas vamos ver o treino de classificação e a corrida."

Binotto reconheceu que a Ferrari não tem o carro mais forte atualmente e disse que a equipe sofre com problemas em relação aos pneus e à instabilidade da asa dianteira.

"Temos um carro que é eficiente em geral, mas carece de força aerodinâmica, em alta velocidade e em baixa velocidade. É o estágio em que estamos", avaliou. "Os pneus desta temporada são bastante diferentes em relação a 2018. O aquecimento é muito mais difícil", completou o responsável pela Ferrari, que crê que, apesar dos problemas aerodinâmicos, a equipe não precisa trocar a asa dianteira nesta temporada.

O treino classificatório para o grid do GP de Mônaco está marcado para o sábado, às 10 horas (de Brasília). No domingo, a largada da corrida em Montecarlo, a sexta desta temporada, está prevista para as 10h10.

Tudo o que sabemos sobre:
Ferrari EscuderiaFórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.