Valdrin Xhemaj/EFE
Valdrin Xhemaj/EFE

Chefe da Fórmula 1 não cobrará cotas e quer Bahrein em 2011

Bernie Ecclestone abriui mão dos US$ 40 milhões em taxas pelos direitos de abrigar etapa do Mundial

AE-AP, Agência Estado

23 de fevereiro de 2011 | 10h55

O chefe dos direitos comerciais da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, revelou que não irá cobrar as cotas referentes à realização do GP do Bahrein, que abriria a temporada de 2011 da categoria, no próximo dia 13 de março, mas foi cancelado devido a conflitos vividos no país. O dirigente, porém, disse que pretende reagendar a disputa da prova ainda para este ano.

"A taxa que normalmente é paga não está sendo paga. Não vou cobrá-los por uma corrida que eles não vão ter", declarou o dirigente em entrevista publicada nesta quarta-feira pelo jornal Daily Telegraph.

Ecclestone lembrou que a situação ocorrida no Bahrein não podia ser prevista. "É como um terremoto. Há um mês, ninguém poderia vislumbrar isso", acrescentou o chefão da F1, categoria que deixará de receber assim os estimados US$ 40 milhões (cerca de R$ 67 milhões) em taxas pelos direitos de abrigar uma etapa do Mundial de 2011.

Com o cancelamento da prova do Bahrein, o campeonato de F1 deste ano será aberto apenas no dia 27 de março, no GP da Austrália.

Ecclestone, porém, espera poder contar com a presença do Bahrein no calendário de 2011 da categoria. "O que aconteceu no Bahrein foi muito triste. Mas faremos tudo o que for possível para recolocar a prova no calendário", destacou o dirigente, lembrando que os impostos para a realização da corrida serão cobrados normalmente se a corrida for remarcada para uma outra data deste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.